terça-feira, 31 de maio de 2011

Primavera ou Outuno Árabe?



Apenas 10 notícias de ontem até hoje que envolvem países revoltosos no mundo muçulmano (fonte: sites Drudge Report e Weasel Zippers):

1) Uma jovem de 19 anos foi assassinada por apedrejamento na Ucrânia porque vilou a Lei Sharia ao participar de concurso de beleza;

2) Clérigo iraniano. mentor de Ahmadinejad, Ayatollah Taghi Mesbah, diz que ataques suicidas são obrigação de todo muçulmano contra Israel, mesmo que matem crianças israelenses;

3) Membros da al-Qaeda no Iêmen (AQAP) já dominam algumas cidades do país.Abaixo, foto dos guerrilheiros do Iêmen, não me parece que lutam pela democracia.


4) Turquia pretende invadir Síria para evitar que refugiados cheguem a seu país;

5) Catar quer impedir que Argélia forneça armas para Síria;

6) Palestinos planejam outra intifada nas fronteiras com Israel na Síria, Jordânia, Gaza e Líbano, nos dia 3, 5 e 7 de junho;

7)  Tumbas cristãs foram Atacadas no Paquistão;

8) Cristã foi estuprada no Paquistão e Polícia dá cobertura aos estupradores;

9) Mais de 400 membros da al-Qaeda entraram no Egito e já atacam a polícia egípcia;

10) Mulheres presas no Egito por participarem de protestos são submetidas a testes de virigindade e tortura pela polícia:

Joana D'arc - 580 anos


Estava lendo um texto do grande jornalista Augusto Nunes, ele estava  falando do julgamento do Palocci no Supremo Tribunal Federal que o livrou de ser condenado no caso da violação da conta do caseiro Francenildo, sem nem se ouvir a vítima. Pensei comigo mesmo: o que falta no Brasil são homens, homens como o...como o...como o...Joana D'Arc.

Hoje, faz 580 anos que ela foi queimada na fogueira.

Joana D'Arc foi chamada por Deus para comandar a França contra os ingleses e parte da própria França, na guerra dos cem anos. Ela liderou o exército francês, obteve várias vitórias e colocou um rei no Trono (Carlos VII). Posteriormente, foi presa pelos inimigos do Rei na França e vendida aos ingleses. Foi julgada em um tribunal de inquisição falso, que não tinha jurisdicão para julgá-la.  O Bispo Pierre Cauchon só queria derrotar o Rei Francês. Eles arregimentaram testemunhas contra ela, que não teve direito a um advogado (como era obrigatório pela lei canônica), nem a um padre francês do seu lado.

Depois de apenas 25 anos de morte dela, a Igreja examinou os arquivos do julgamento, declarou que ela era inocente e a nomeou mártir da Igreja.

O julgamento só revelou a grande inteligência de Joana D'Arc. Ela foi derrubando as armadilhas teológicas uma a uma. Ela tinha apenas 19 anos, quando faleceu.

O site The New Theological Movement me revelou um filme de 1928. Um clássico do cinema mudo. O diretor Carl Theodore Dreyer fez o filme inteiramente baseado no julgamento dela até a sua morte. A atriz que faz Joana D'Arc, Renée Jeanne Falconetti, é simplesmente espetacular. Sensacional, nunca vi nada igual, em termos de representação.

O filme está disponível no Youtube, em 8 partes com legendas em inglês. Comecei a assistir e não parei mais. Abaixo as duas primeiras partes do filme.

Espero que gostem. Estão com legenda em inglês, ainda não aprendi a colocar legendas em youtube, se é que é possível. Se quiserem continuar assitindo depois dessas duas primeiras partes cliquem aqui.


video


video

segunda-feira, 30 de maio de 2011

China: A Superbolha.


Talvez seja muito cedo para soar o alarme, talvez não. Mas a economia chinesa mostra sinais de agravamento de problemas que ficaram latentes por anos. Hoje, o site Stratfor anuncia que o custo de investimento das empresas na China começa a fazer com que firmas saiam do país para ir para o Vietnã, Laos ou Bangladesh. Esse custo cresceu com o aumento dos salários e com  a inflação das commodities. Além disso, controles sociais, como controle da internet, dificultam os negócios.

Eu já analisei aqui os problemas econômicos da China, com base em outro artigo do Stratfor, vimos que os problemas econômicos da China têm quatro fontes: 1) Queda na demanda internacional; 2) Aumentro do custo do insumos e da mão-de-obra; 3) Aumento do poder dos militares que procuram uma atitude mais ativa para aumentar a influência chinesa internacionalmente; e 4) Falta de reforma política, o que favorece a corrupção e as disparidades regionais.

Vi também no final de semana uma apresentação sobre a economia chinesa de Vitaliy Katsenelson, diretor de pesquisa do grupo Investment Management Associates.

A apresentação é de outubro de 2010 e é muito interessante mas também preocupante. Katsenelson mostra o foco político da China em mater a economia crescendo a qualquer custo. O governo chinês domina as principais empresas do país e as usa para manter o crédito baixo, mas há, por exemplo, pontes construídas para lugar nenhum, um shopping (South China Mall) e uma cidade (Ordo) imensos que foram erguidos para nada, estão vazios. Além da tentativa de manter-se crescendo, a corrupção e péssimo planejamento empresarial são problemáticos na China.

Katsenelson não acredita nos dados econômicos da China, especialmente aqueles que foram mostrados durante a crise de 2008,  e também apresenta alguns riscos para o nível da dívida (considera que há elevada taxa de dívida com garatia do governo em bancos e governos locais) e para as taxas de urbanização (a população vivendo ans cidades é maior do que se pensa. Os governos locias informam baixa população para cumprir meta de PIB per capita).

Em suma, Katsenelson compara a idéia de desenvolvimento chinês àquele filme Velocidade Máxima, no qual um ônibus tem uma bomba que explodirá se ele diminuir a velocidade abaixo de certos limites.

Stratfor acredita que com a queda do crescimento na China, o partido comunista desse país mude o foco da economia para o social, tentando manter-se no poder.

É um grande debate e que envolve o mundo todo. Uma crise na China será uma crise global. A China é uma superbolha, se explodir, todos serão afetados, então, todos devem estar preparados para isso.

O site Business Trader analisou quais seriam os principais estados americanos afetados por uma crise chinesa. Em primeiro lugar está o estado mais falido dos Estados Unidos, a California, que perderia 9,7 bilhões de dólares em exportações.

Além disso, Business Trader mostrou alguns fatos sobre a China que surpreendem:

1) China consome 53% do cimento do mundo e 48% do minério de ferro (Brasil exporta muito disso para lá);

2) O PIB per capita da China é o 91o do mundo, abaixo da Bosnia Herzegovina;

3) 85% das árvores de natal e 80% dos brinquedos nos Estados Unidos são feitos na China;

4) China tem 64 milhões de casas vazias, há uma cidade inteira vazia. E o custo de moradia é altíssimo para o nível salarial chinês;

5) Há mais cristãos na China do que na Itália;

6) A China realiza três vezes mais penas de morte do que o resto do mundo junto. Há inclusive um ônibus para realizar as execuções de forma "segura  e tranquila".

domingo, 29 de maio de 2011

Obama Chupa Chiclete durante Cerimônia aos Mortos de Joplin?


 Obama está realmente em uma péssima semana em termos de relações públicas. Depois das gafes que mostrei aqui no Reino Unido , o cara volta para os Estados Unidos, vai a cerimônia religiosa em nome dos mortos do tornado que devastou a cidade de Joplin e aparentemente mastiga chiclete durante a cerimônia. Será? Acho que sim, vejam se concordam comigo vendo o vídeo abaixo que peguei no site Weasel Zippers:

video

A Estupidez Extrema do Politicamente Correto


O pior é que esta estupidez nem é novidade e já mostrou ser realmente apenas uma grande estupidez.  A  história é a seguinte: Kathy Witterick, 38 anos, e David Stocker, 39, decidiram não revelar o gênero de seu filho, chamado Storm, de quatro meses de idade. O sexo de Storm é mantido em segredo até mesmo dos avós das crianças. Apenas os dois pais,  os dois irmãos, um amigo e duas parteiras sabem.

A mãe diz que a ideia de manter o sexo do bebê em segredo é uma tentativa de "autenticamente tentar conhecer a pessoa, ouvindo a ela com atenção e reagindo a pistas significativas dadas por ela própria".

O pai disse que os outros dois filhos do casal são comumente  confundidos com meninas por usarem roupas rosas e terem cabelos compridos. 

Minha Nossa Senhora, quanta bobagem! Como se o corpo da pessoa não falasse nada para elas, apenas o mundo externo, as roupas.  O fato do pai ressaltar que os outros dois filhos são comumente confundidos com meninas foi o que mais me assustou. Passou-me a impressão de que há uma vontade do pais em escandalizar o mundo. 

Não sei o que se passa na cabeça dos pais, mas não é bom. Eles, por exemplo, acreditam que as crianças conseguem fazer grandes decisões nas suas vidas mesmo ainda tendo pouquíssima idade.

Como o grande articulista Ed West do jornal The Telegraph mostrou, essa bobagem é velha. Isto é, a tentativa de mostrar que o mundo é que decide o sexo das pessoas já foi mostrada ser apenas uma estupidez.

Ed West lembra que tentativas de provar que o sexo é socialmente construído foram feitas  a partir da década de 50 nos Estados Unidos, no Reino Unido, na Alemanha e em Israel, todas resultaram em fracasso em poucos anos.

A mais famosa experiência foi em Israel, onde uma comunidade tentou formar uma sociedade neutra em matéria de sexo. O resultado disso foi mostrado pelo psicólogo Glenn Wilson em 1976.

Em pouco tempo: 

1) A administração da comunidade estava a cargo basicamente dos homens, pois aparentemente as mulheres tinham pouco interesse por política;

2) Uma divisão de trabalho entre os sexos tinha aparecido. Homens faziam o trabalho produtivo, enquanto as mulheres faziam trabalhos comunitários ou serviços de professora, enfermaria ou cuidavam de casa;

3) Casamentos aconteciam na forma tradicional, entre homens e mulheres e com cerimônias;

4) A comunidade também estabeleceu propriedades, as coisas não eram mais de todos;

5) As crianças viviam com as famílias.  Não eram cuidadas pela comunidade em geral; e

6) As mulheres se vestiam como mulheres.

sábado, 28 de maio de 2011

200 milhões de Cristãos Perseguidos no Mundo

Cristina Odone fez um excelente artigo no The Telegraph, ela disse que dois dos mais importantes homens do mundo se encontraram, Obama e David Cameron, e discutiram muitos assuntos, como Líbia, Afeganistão, mísseis, até como se assa um bom churrasco, e jogaram ping pong (foto abaixo), mas não discutiram a situação dos cristãos no mundo. Há mais de 200 milhões de cristãos sofrendo de perseguição no mundo hoje.


Por que esse chefes de governo não discutiram esse assunto? Deveriam eles discutir esse assunto? Isso é importante para o Ocidente?  Devemos defender a religião que formou nossa cultura?

Tenho várias respostas para a primeira pergunta. Respostas que passam por desprezo a religião cristã e por receio de melindrar os muçulmanos. A resposta para outras três, poderia ser bem elaborada, mas, se precisa de resposta elaborada, o leitor já não entende a importância do cristianismo no modo de pensar dele e nas leis que asseguram sua liberdade e seu desenvolvimento.

Há cristãos sendo mortos e presos em diversas partes do mundo, especialmente na África e na Ásia. Mas, como bem lembra Peter Williams do Aid to the Church in Need (símbolo acima) o problema começa em casa, muitos países ocidentais estão afastando os símbolos cristãos do ambiente público. Isso é entregar sua cultura a quem quiser destruí-la.

O ranço comunista e o islamismo são os principais fatores para a perseguição aos cristãos, como mostra o vídeo abaixo da Rome Reports sobre a perseguição aos cristãos no mundo. Traduzo em azul


video

De cada 10 pessoas, 7 não podem viver sua fé em plena liberdade. E a religião mais perseguida é o cristianismo, como pelo menos 200 milhões de pessoas sofrendo discriminação. Isto foi revelado pelo relatório sobre liberdade religiosa no mundo publicado a cada dois anos pela organização católica Aid to the Church in Need. Em 21 dos 194 países estudados, quase não há liberdade religiosa. 

O relatório aponta dois tipos de perseguição religiosa: política e vinda de membros de outras religiões.

Peter Sefton Williams, chefe do Aid to the Church in Need diz:  Opressão política e discriminação, vem de países como China, Cuba, Coréia do Norte e de países como o Vietnã. A perseguição por outras religiões é feita em países muçulmanos. Lugares como Arábia Saudita é impossível para qualquer cristão ou qualquer outra religião não-muçulmana se organizar e praticar sua religião publicamente. Nós vemos este tipo de coisa na Somália e no Sudão também.

O vice-presidente dos bispos católicos do Paquistão denunciou a piora da situação dos cristãos em seu paíss. Ele disse que há poucos anos não haviam assassinatos baseados na religião, mas está acontecendo agora. O governo não seria responsável por esses assassinatos. Os responsáveis são fundamentalistas islâmicos que agem nas costas das autoridades.  Ele também criticou a lei da blasfêmia no Paquistão, que estipula punição tão severa como pena de morte para qualquer um que falar contra o Corão ou contra Maomé. A lei é perigosa, porque é difícil para a vítima provar a sua inocência, uma vez que muitas pessoas não têm recursos para pagar por isso. Até agora o governo não tem executado ninguém por blasfêmia, entretanto os réus têm sido mortos por radicais fora do governo.

O monsenhor Joseph Coutts, vice-presidente da Conferência Episcopal do Paquistão, disse:  Nós queremos ter igualdade e direitos como qualquer cidadão do Paquistão. Nós não somos contra nosso país, nós queremos ficar em nosso país. Nós não vamos deixar o Paquistão. 

O relatório também revela que a liberdade religiosa tem diminuído nos Estados Unidos e na Europa, por causa da radicalização do secularismo. Especialmente em países como Espanha, que proíbe a presença de símbolos religioso em lugares públicos. França foi citada como discriminando comunidades islâmicas e a Alemanha, pela hostilidade de alguns setores contra a Igreja Católica porque da posição da Igreja contra aborto e defesa da família. Em geral, o estudo mostra que a liberdade religiosa tem caído no mundo todo, e que este direito está mais sob grande ameaça hoje do que há dois anos atrás.  

O relatório foi entregue no final do ano passado, não levou em consideração a perseguição aos cristãos coptas no Egito, depois da Chamada "Primavera Árabe". Obama e Cameron ainda acham que a tal primavera é pela democracia. Hoje, o Egito abriu as portas de sua fronteira para o Hamas.

A gente, no ocidente, pode começar a liberar parte de nossos países para adotar a Lei Sharia e queimar gente viva, como fez ontem o Afeganistão, que tal?



sexta-feira, 27 de maio de 2011

Ahmadinejad é Pró-Israel?





Depois de uma semana em que o presidente dos Estados Unidos fez um discurso que, em certos aspectos, é mais radical que o discurso do Hamas, agora Ahamdinejad é acusado de ser pró-Israel. Para onde eu corro?

Pois é, mas na verdade, os clérigos do Irã estão querendo derrubar o Ahamdinejad de qualquer jeito. Eu já falei aqui da disputa entre o presidente do Irã e o líder supremo, Ali Khamenei. A briga envolve principalmente o sogro do filho de Ahamadinejad, Esfandir Masahei, e uma concepção de Irã. Ahmadinejad tem um viés nacionalista, quer armar o Irã, e o líder supremo quer manter o poder dos religiosos, na teocracia.

Os clérigos têm muita força no parlamento iraniano. Já foram presas 25 pessoas ligadas a Ahmadinejad acusadas de desvirtuar a religião islâmica. Mas, no que interessa, os dois detestam o Ocidente e Israel.

Ahmadinejad é realmente louco. As gafes de Obama,  que falei aqui nesta semana, são declarações shakesperianas na frente das loucuras de Ahmadinejad.

Essa semana, por exemplo, Ahamdinejad disse que a culpa da seca no país, era que a Europa estava secando as nuvens para que não chovesse no Irã, pode acreditar.

Ele tem uma visão mística do islamismo, por isso é facilmente acusado de bruxaria por aqueles que o detestam. Ele já declarou na ONU que reza pela vinda do 12o Imã, Mahdi, que viria destruir todos os infiéis. Essa semana, aqueles que estão na seita de Ahmadinejad declararam que o 12o Imã irá chegar no dia 5 de junho. Nossa Senhora.

Ontem, Ahmadinejad foi acusado por um clérigo que ele deseja amizade com Israel. A acusação é baseada na declaração de Masahei de três anos atrás que disse que o Irã deveria ter laços de amizade com Israel, apesar de Ahmadinejad ter declarado diversas vezes que quer varrer Israel do mapa.

Pois é, é neste tipo de país que a Rússia incentiva a criação de uma usina nuclear, que a Alemanha tem fortes laços de investimentos na área de petróleo, que o Brasil disse que o diálogo seria a melhor solução, e que o Obama se calou frente a juventude que queria liberdade.

Como já disse aqui, tanto Ahmadinejad como Khamenei odeia a gente, os infiéis, então não cabe escolher lado, mas incentivar a criação de uma bomba nuclear é demais, é o escolher o lado errado, é querer também a nossa morte.


quinta-feira, 26 de maio de 2011

Antes do Aborto, Ultra-sonografia



O governador do Texas, Rick Perry, assinou uma lei muito interessante, que deveria ser copiada em todo mundo. Antes de fazer qualquer aborto, a mãe é obrigada a realizar uma ultra-sonografia. A ultra-sonografia mostra imagens do bêbê. E como uma chance da criança falar algo a mãe.

Serão oferecidas às mulheres duas opções: ouvir o batemento cardíaco da criança ou ver a imagem da ultra-sonografia. Mas o doutor tem descrever a imagem para elas, explicando o tamanho do feto e a presença dos órgãos. Claro que o doutor pode ser pró-aborto e evitar detalhes que incomodem a grávida, mas não deixa de ser um passo importante para a defesa da vida. Apenas em alguns casos, como estupro, incesto ou anormalidades fetais, a mulher pode declinar de ouvir essas descrições. Também, com a lei, as mulheres terão de esperar 24 horas depois de fazer a ultra-sonografia para realizar um aborto.

A questão do aborto é um divisor de águas nos Estados Unidos. Talvez seja a principal batalha cultural e religiosa. A decisão do governador do Texas (foto abaixo) é muito importante para aqueles que defendem a vida.


O instituto Gallup revelou sua pesquisa anual sobre aborto na semana passada.  A pesquisa foi feita entre os dias 5 e 8 de maio passados. Os resultados são bem complexos e por vezes contraditórios, mas valem a análise. Em resumo, concluí-se olhando a pesquisa que:

1)  A percentagem daqueles que defendem a ilegalidade ou aborto em apenas alguns casos passou de 56% para 61%. Aqueles que defendem qualquer caso para aborto ou na maioria dos casos, caiu de 39% para 37%. Há uma vantagem de 24 pontos percentuais pró-vida.

2) Há uma forte divisão na socidedade entre aqueles que se definem pró-escolha (pro-choice) e os que se definem pró-vida (pro-life). Não é a mesma coisa ser pró-escolha e ser pró-aborto, mas daquele que se diz pró-escolha se espera que aceite o aborto. A maioria escolheu em 2011 ser pró-escolha, o que de certa forma contradiz o resultado 1 acima, se consideramos que pró-escolha é igual a pró-aborto. Mas é muito perto um do outro (49%, escolha, 45%, pró-vida);

3) Apesar da maioria se considerar pró-aborto, eles acham moralmente errado. 51% acham moralmente errado contra 39%, moralmente aceitável. Uma diferença de 11 pontos percentuais. O que contradiz o resultado 2.

4) Não há diferenças acentuadas entre homens e mulheres. A não ser que os números mostram que as mulheres são mais a favor tanto da legalidade total como da ilegalidade total do aborto.

5) O envelhecimento tende a levar a pessoa a ser pró-vida.

6)  Há uma forte diferença partidária. Os republicanos são muito mais contra o aborto do que os democratas. Na verdade, isso quase define se você é republicano ou democrata. Os números são o inverso para os partidos.

Vejam os gráficos e tabelas abaixo, e tirem suas próprias conclusões:




 


Em suma, é mais claro ser republicano e ser a favor da vida, do que ser pró-escolha e ser a favor do aborto.  Eu sou a favor da vida, depois eu penso na questão partidária.

A Arquidiocese de Washington analisou a pesquisa  e comparou o movimento pró-vida ao movimento pelo fim da escravidão. Hoje, olhando para o passado nós custamos a acreditar que a escravidão já foi legal e defendida por milhares de pessoas. Assim veremos com assombro, no futuro, aqueles que defendem o aborto hoje. Para a Arquidiocese, o movimento pró-vida deve continuar a luta, com força, persistência e conquistando cada espaço possível.

Abaixo a banderia do estado do Texas. Viva o Texas!! 

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Por Que Não se Mostram as Gafes do Obama?


O Obama pode continuar brindando. Ele não é o Bush. Cada deslize do Bush caia nos jornais brasileiros, os delizes do Obama não caem nem nos jornais americanos. Por quê?

A verdade é que a imprensa mundial tende a ser de esquerda. Reagan era chamado de idiota diariamente e a Thatcher também. Como teria sido o século XX sem os dois? Hoje, até o Obama elogia e deseja ser visto como Reagan. Os esquerdistas Jimmy Carter e Bill Clinton nunca foram chamados de idiotas, apesar do primeiro certamente ser um e o segundo ser um tarado que fez sexo oral com uma mulher feia no Salão Oval da Casa Branca, .

Vou descrever três gafes do Obama, que ele fez em dois dias, desde que chegou no Reino Unido. Estão por ordem de assombro, cada vez pior.

1) Em um bar irlandês, ele disse:

“The first time I had Guinness,” Obama said, “is when I came to the Shannon airport. We were flying into Afghanistan and so stopped in Shannon. It was the middle of the night. And I tried one of these and I realized it tastes so much better here than it does in the States.”
(A primeira vez que tomei uma Guinnes foi quando eu vim para  o aeroporto de Shannon. Nós estávamos vindo do Afeganistão e então paramos em Shannon. Foi no meio da madrugada. E eu tentei uma dessas e vi que tinha um gosto muito melhor do que aquelas dos Estados Unidos).

Obviamente, Obama estava mentindo. Ou não era a primeira vez, ou isso nem aconteceu.

2) Obama visitou a Abadia de Westminster este ano e sabe-se lá por que cargas d'água, ele assinou a data com o ano de 2008. Errou por três anos. Vejam abaixo:




3) A terceira chega a dar pena do Obama. O cara continuou falando mesmo quando estava tocando o hino do Reino Unido, Salve a Rainha, e levou um fora explícito da majestade.  Não é de se admirar, uma vez que o Obama teve a coragem de dar, em 2008, um Ipod a Rainha Elizabeth II com os seus próprios discursos. Ele se adora. Vejam no vídeo essa gafe constrangedora.



video

Pergunto: vocês viram alguma dessas gafes por aí? E se fosse o Bush?

E eu estou deixando de lado outros dois fatos que causariam detonação de Bush: 1) Obama tentou falar igual a irlandês; 2) Carro dele na comitiva passou por uma elevação e ficou preso.

Sem falar, no método para fazer discurso de Obama, sempre usando teleprompters. Ele aponta para um lado e olha para o outro para ler (foto abaixo):


O caso do Obama não é nem idêntico ao caso Lula, por exemplo. Lula é considerado um underdog, isto é, alguém que não estudou porque era pobre (o que não é verdade), por isso não se pode atacar o que ele fala, nem suas gafes. Obama era professor de Harvard, poderia ser cobrado como se cobra do FHC, mas não, a imprensa mundial o protege.

Hamas Quer Mais: Fronteiras de 1948 não de 67

 

Acima, primeiro-ministro do Hamas, Ismail Hanieyh, pisa na bandeira de Israel, e ontem, o jornal Jerusalem Post disse que um outro líder do grupo, Mahmoud Zahar, declarou que as fronteiras de 1967, defendidas por Obama como ponto de partida para troca por terras entre palestinos e israelenses,  não servem para os palestinos. Eles pensam nas fronteiras de 1948, estabelecidas pela ONU (mapa abaixo), na qual Jerusalem era um zona internacional, administrada pela ONU, e os árabes cercavam Jerusalém, deixando as bordas para judeus.

 

Zahar quando perguntado sobre a sugestão de Obama, respondeu:

"Why won't we talk about the 1948 borders? Why won't we discuss the partition plan which was internationally  recognized?" (Por que não falar das fronteiras de 48? Por que nós não discutimos o plano de partição reconhecido internacionalmente)

Depois completou:

Obama "wants to keep us on 22% of the area of Palestine, and talks about the possibility of swapping land, including Jerusalem...and he wants us to give Jerusalem to the occupation in return for 5% of historic Palestine, which is originally our land. This is a great trick." (Obama quer nos manter em 22% da área da Palestina, e fala sobre a possibilidade de trocar terras, incluindo Jerusalém...e ele quer nos dar Jerusalém em troca de 5% da Palestina histórica, que é originalmente nossa terra. Isso é um grande truque)

Depois da guerra de independência em 1948, Israel negociou um armistício com Egito, Síria, Líbano e Jordânia e os árabes ficaram apenas com a parte verde do mapa abaixo.


Na guerra de  seis dias de 1967, Israel ocupou as colinas de Golã da Síria, mais as partes verdes e rosa do mapa acima. Depois, em 2005, Israel cedeu a Faixa de Gaza, região do canto esquerdo verde do mapa, onde o Hamas tem poder atualmente. O resultado da entrega da Faixa de Gaza não foi bom, ataques de foguetes são constantes contra as cidades israelenses. A outra parte verde, Cisjordânia, permanece sob controle militar de Israel, mas é dominada por população árabe, com diversos assentamentos israelenses. O outro grupo partido palestino, Fatah, está na Cisjordânia, e é um pouco mais moderado que o Hamas. Mas atualmente há uma aliança entre os dois.

Então, a base de Obama seria Israel sem as Colinas de Golã e a Cisjordânia. Hamas quer muito mais, Israel, muito menos. Mas pior é pensar, como Obama, que tudo não passa de problema de terra. É uma questão cultural e religiosa e não troca de terrras.

Ontem também, o Hamas declarou que nunca vai aceitar o estado de Israel. Obama pode esquecer isso também.

E o próprio líder do Senado, Harry Reid, do partido do Obama, declarou ser contra as precondições de Obama.

Em suma, Obama está sozinho e confuso.


Enquanto isso, ainda nos Estados Unidos, Netanyahu deu um show ontem no Congresso americano, arrancando aplausos efusivos dos parlamentares.

Uma manisfestante invadiu o plenário para gritar contra Netanyahu, mas só serviu de escada para o show do primeiro-ministro israelense. Vejam o vídeo abaixo que mostra o momento que a manifestante começou a gritar.

Vejam que ele parou de falar quando ouviu os gritos e é aplaudido de pé por isso. Depois diz: "em nossa sociedade livre, nós temos protestos, você não ver protestos em Teerã ou em Tripoli, aqui sim, é democracia real", e é aplaudido de pé de novo.

video

Para piorar a relação entre Estados Unidos e Israel, o vice-presidente americano, Joe Biden, foi visto muitas vezes ou não aplaudindo ou aplaudindo de forma fraca o discurso de Netanyahu. O site The Blaze descreve vários momentos, cliquem aqui e vejam.

No final da noite de ontem, Netanyahu foi a Fox News para uma entrevista e, pelo o que vi, tentou colocar panos quentes na crise, falando da importante relação entre os dois países e do apoio do Obama.

Israel precisa muito dos Estados Unidos, especialmente no Conselho de Segurança da ONU, além de apoio militar se entrar em guerra com seus vizinhos. O cara não é louco.

terça-feira, 24 de maio de 2011

É Caridade criar Crianças-Soldado?


A Reuters anunciou ontem que instituições de "caridade" da Arábia Saudita e dos Emirados Árabes enviaram milhões de dólares para uma instituição no Paquistão que arregimenta crianças de até 8 anos para lutarem na guerra santa. A fonte da informação é o Wikileaks, aquele site dedicado a liberar informações secretas das embaixadas americanas.

Eu já disse aqui que apesar do fundador do Wikileaks ser totalmente anti-americano, o trabalho dele só reforçará a fraqueza dos adversários dos Estados Unidos. Mesmo para o Brasil, o que o Wikileaks disse de relevante é que o nosso país Brasil não tem legislação para terrorismo e que quando prende terroristas os acusa de outras coisas, como racismo. Isso é pura verdade e pesa negativamente ao Brasil.

Mas voltando à notícia da Reuters, quer dizer que os árabes fazem caridade gerando crianças-soldado que possivelmente irão se explodir matando civis? O que é isso? Financiamento ao auto-genocídio? As insitituições exploram a pobreza das crianças para doutriná-las e transformá-las em suicidas.

A Arábia Saudita declarou apenas que não irá comentar informações do Wikileaks, acho que o Brasil fez o mesmo.

Enquanto o mundo não entender que existe um diferença cultural enorme entre o ocidente e o islã, não irá se vencer essa guerra. Enquanto Obama achar que é só doar terras para que os palestinos adorem Israel, o mundo continuará vendo mortes por lá. E enquanto o Ocidente não aprender a valorizar sua cultura, o caminho é a destruição.

Hoje, o Papa ressaltou durante visita da presidente da Bulgária que: 

"Economic interests are not sufficient for creating a new Europe and that its unity will be more solid if based on it's Christian roots.  (Interesses econômicos não são suficientes para criar uma nova Europa e que a unidade dela será mais sólida se baseada nas suas raízes cristãs).

A frase dele vale para observarmos muitos movimentos feitos na Europa e no mundo ocidental. Passos que vão na direção errada, como o aumento dos interesses econômicos da Alemanha com o Irã (mesmo contra as leis internacionais) ou como a aprovação de medidas pró-aborto ou a favor de casamentos gays (vi em uma foto que há uma cruz na sala do STF que faz as decisões).

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Relações Perigosas no Paquistão


O mundo acordou com duas notícias perigosas sobre o Paquistão:

1) Um ataque de militantes do Talibã paquistanês em uma base naval em Karachi (ver mapa acima) demorou 16 horas para ser contido. As notícias dizem que há mortes tanto entre os militares como entre os terroristas do Talibã.

2) Paquistão pediu a China que construísse uma base naval na cidade de Gwadar (mapa acima). Permtindo  a presença de militares chineses no país.

A magnitude do ataque a base nava de Karachi é sem precedentes, dado o tipo de municção e a força do ataque. A base contém aviões cedidos pelos Estados Unidos para monitoramento militar. Ao que parece o objetivo dos terroristas era destruir esses aviões. Há informações de que algumas aeronaves foram destruídas.

Apesar de Karachi ser dominada por milícias, o método e a força do ataque fEz com que as suspeitas caíssem sobre o Talibã paquistanês. O porta-voz do Tehreek-e-Taliban Pakistan, Ehsanullah Ehsan, confirmou que era um ataque terrorista do grupo. Ele disse:

“Fifteen of our fighters entered the naval air base and we don’t expect them to return.. They are there to kill. Our issue with Pakistan is its secular policies and friendship with America.”( Quinze de nossos guerrilheiros entraram na base naval e nós não esperamos que eles voltem. Eles estão lá para matar. Nosso problema com Paquistão são suas políticas seculares e suas relações com os Estados Unidos)

Eles estavam cumprindo promessas de atacar o Paquistão depois da morte de bin Laden. O site Stratfor desconfia de ajuda interna para que ocorresse a invasão da base naval, dado a facilidade com que os terroristas entraram.

O governo disse que os terroristas tinham entre 20 e 22 anos e usavam roupas ocidentais com jaquetas para ataques suicidas embaixo delas.

O Paquistão não consegue controlar o extremismo muçulmano, especialmente no sul do país, que faz até fronteira com o Irã (vejam no mapa). E mesmo suas forças militares são acusadas de acobertar terroristas. O próprio bin Laden podia estar sob proteção de militares paquistaneses. O pior é que o país possui armas nucleares. Isso é assustador especialmente para a eterna inimiga do Paquistão: Índia. Mas se elas caírem nas mãos de terroristas, não só a Índia está ameaçada.


Abaixo, imagens da situação em Karachi.


video

Interessante é que havia seis americanos e onze chineses na base naval de Karachi quando ocorreu o ataque de domingo. Isso nos leva para a segunda notícia.

O jornal Financial Times noticiou ontem que o Paquistão pediu a China que construísse uma base naval em Gwadar, liberando a marinha chiensa para presença regular no local. Isso deve alarmar também a Índia e os Estados Unidos. A informação foi confirmada pelo Ministro da Defesa, Chaudhary Mukhtar.

O jornal diz que até agora a China tem mantido distância de situação militares que perturbem seus vizinhos, como a Índia, a Malásia e a Indonésia.  Mas o Pentágono demonstra preocupação com o aumento da capacidade militar chinesa na região. Quando os Estados Unidos mataram bin Laden, restos de um helicóptero da força área americana ficou no local e a preocupação americana era justamente que caíssem nas mãos chinesas.

Certamente, uma base naval da China no Paquistão seria um "game changer", uma mudança completa na situação militar da região. O porto comercial de Gwadar já foi construído pelos chineses, mas é administrado por Cingapura.

O primeiro-ministro paquistanês Yousaf Gilani visitou a China na semana passada e os países concordaram em acelerar a entregar de 50 jatos chineses para o Paquistão. Agora, o país quer aumentar sua capacidade naval para contrabalançar as forças da marinha indiana.

domingo, 22 de maio de 2011

Grana e Bibi fazem Obama Recuar



Pesou a grana que envolve ser contra os judeus e as porradas que Obama levou de Netanyahu (vejam post abaixo), do seu próprio partido e da imprensa. Obama diz agora que não disse o que disse e que não falou nada diferente do que já se falava.

Quem acredita nisso? Ninguém. Mas os judeus que contribuíram com a campanha dele vão ficar mais calmos e Netanyahu (conhecido como Bibi) também começou a falar que tá tudo beleza.

Vi no noticiário americano que, na eleição de 2008, 78% da contribuição dos judeus foram para Obama e apenas 22%, para McCain. Pois é, como se costuma dizer: judeus quando estão fora de Israel são basicamente esquerdistas. 

Abaixo o vídeo do discurso de hoje de Obama no American Israel Public Affairs Committee (AIPAC). Traduzo em azul a fala dele, comento em negrito.

video

A base de negociação deve ter chance de sucesso (não diga. Então, Netanyahu tinha razão: a proposta de Obama era uma completa ilusão. O próprio Obama confirma). Então, antes de minha viagem de cinco dias para Europa, na qual o Oriente Média será um tópico de muito interesse, eu escolhi pensar em o que se requer para a paz. Não há nada original na minha proposição (aqui ele já baixou a guarda, pois nenhum presidente americano jamais defendeu as fronteiras de 1967). Essa base de negociação tem uma longa tradição entre os partidos, incluindo ex-presidentes, quando essas questões forma levantadas. Permitam-me que eu repita o que eu relamente disse na quinta-feira (depois de quatro dias, ele vem com essa de repetir o que ele "realmente disse"?)  e não o que foi dito o que eu disse. Eu disse que os Estados Unidos acreditam que a negociação deve ser baseada na idéia de dois estados, com fronteiras permanentes entre o estado palestino com Israel, Egito e Jordânia. As fronteiras entre Palestina e Israel devem ser baseadas nas fronteiras de 1967 com mudanças mutualmente concordadas (quer dizer: sabe Deus quais devem ser as fronteiras), nas quais fronteiras seguras e reconhecidas sejam estabelecidas para os dois estados (uai, não foi isso que o Netanyahu disse?). O povo da palestina tem o direito de governar eles mesmos e alcançar o pontencial deles com soberania.

O Obama é tão confuso que o discurso dele permite diversas interpretações, alguns dizem até que ele manteve o que disse, mas acho que consegui provar que ele recuou completamente.

Vejam meu post com a reunião dele com o primeiro-ministro de IsraelSerá que Netanyahu diria tudo aquilo se o discurso fosse esse de hoje? Será que se Obama dissesse que iria repetir o que os outros presidentes americanos disseram, Netanyahu teria ficar furioso?

Eu sei, ele voltou a basear sua análise nas fronteiras de 67, o que é perturbador. Mas a maioria dos sites que pesquisei nos Estados Unidos também reforça que ele disse que as fronteiras não vão ser as mesmas de 67 e também o termo "misrepresentended", que ele usou para dizer que interpretaram mal o discuros dele de quinta-feira. Mas sempre há uns malucos que dizem que ele não recuou, repetindo o porta-voz da Casa Branca, imprensa marrom.

Em suma, o cara fez uma bobagem tremenda e está tentando remendar procurando mostrar que não voltou atrás, voltando. Isso traz apenas muita confusão.

Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes



Muitos nomes para a nossa Irmã Dulce, a nossa madre Teresa de Calcutá, acima a foto das duas juntas. Irmã Dulce foi também Irmã Lucia, Anjo dos Alagados e Bom Anjo do Brasil.

Irmã Dulce fundou de cinema a hospital (a partir de um galinheiro), sempre no sentido de servir aos mais pobres. Hoje, Irmã Dulce vai ser beatificada. Que ela abençoe a mim e a todos que aqui passam.

Para uma cronologia da vida dela clique aqui. Para a repercussão internacional da beatificação, aquiPara ver as Obras de Caridade da Irmã Dulce, clique aqui . Acompanhe aqui a cerimônia de beatificação

Abaixo, um vídeo da Canção Nova sobre a vida  dela.


video

O Papa Bento XVI fez sua homenagem a Irmã Dulce. Declarou em português: "Desejo também unir-me à alegria dos pastores e fiéis reunidos em Salvador para a beatificação da irmã Dulce, que deixou sua marca de caridade ao serviço destes últimos, fazendo com que todo o Brasil visse nela a mãe dos desamparados."


sexta-feira, 20 de maio de 2011

Um Cabra-Macho chamado Bibi Humilha Obama


Eu nunca vi uma coisa dessa. Repetindo um comentarista, a última vez que levei uma lição dessas dos meus pais, eu deveria ter uns 7 anos. Obama leva uma lição na frente das câmeras de todo mundo.

Ele tem o apelido carinhoso de Bibi, mas o nome dele é Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel.

Israelenses, como invejo o líder que vocês têm!

Bom, para entender o que Bibi disse, deve-se saber que ontem Obama defendeu que Israel tivesse suas fronteiras recuadas para a situação de antes da guerra dos seis dias de 1967 (devolvesee boa parte de Jerusalém, a Cisjordânia e as Colinas de Golã). Bibi reage a isso.

Não consegui baixar o vídeo da internet com o discurso de Netanyahu olhando para Obama. Mas não vou perder o prazer de traduzí-lo. Assistam aqui se sabem inglês ou querem ver o discurso. Abaixo traduzo de forma diferente, por tópicos. Em azul, vai o que Nentanyahu disse.

Depois dos apertos de mãos, Netanyahu começa a falar de forma polida e didática (como você faz quando quer explicar algo a um imbecil alucinado):

1) Primeiro, ele prepara o terreno para detonar Obama, colocando os pontos pacíficos:

Sr. Presidente, primeiro, quero agradecer a você e a primeira-dama pela grande hospitalidade a mim, a minha esposa e a toda a minha delegação. Nós temos uma longa aliança entre nossos países, eu agradeço por essa oportunidade de ter essa reunião com você, depois de seu importante discurso de ontem. Nós compartilhamos de suas esperanças para que a democracia se espalhe pelo Oriente Médio. Nós apreciamos o fato que você reafirmou agora e em nossa reunião o seu compromisso com a segurança de Israel. Nós valorizamos seu esforço para avançar o processo de paz. Isso é uma coisa que nós queremos que seja realizada. Israel que a paz, eu quero a paz. Nós queremos uma paz que seja genuína, que seja duradora.

2) Agora vai começar a porrada, sempre usando palavras polidas:

    a) Diz que Obama não tem a menor idéia da realidade da região e chama Obama de Palestino.

      Nós dois devemos concordar que paz baseada em ilusões será destruída pela realidade. A única paz que é duradora é aquela que é baseada na realidade, nos fatos inabaláveis. Eu acho que para termos paz, os palestinos têm de aceitar algumas realidades básicas. Primeira, é que enquanto Israel generosamente deseja a paz, ele não pode voltar a ter as fronteiras de 1967 (aqui Bibi, chama Obama de palestino, pois Obama pensa igual a eles). Essas fronteiras são indefensáveis, e os palestinos não levam em consideração que houve mudanças demográficas desde então. Lembre que antes de 1967, Israel tinha apenas 9 milhas de extensão, e não eram fronteiras que traziam paz, mas fronteiras de guerras constantes, porque atacar Israel era muito atraente. Então nós não podemos voltar para essas fronteiras indefensáveis, nós temos de ter uma longa presença militar. Eu falei com você e expliquei que Israel tem algumas necessidades de segurança que devem estar presentes em qualquer acordo.

        b) Agora Bibi explica para Obama o que é o governo palestino

Segundo, que tem eco no que você mesmo disse, Israel não pode negociar com um governo palestino que tem apoio do Hamas. Hamas, como você disse, é um grupo terrorista que está comprometido com a destruição de Israel. O Hamas joga milhares de foguetes em nossas cidades, em nossas crianças. Recentemte, jogou um míssil anti-tanque em um ônibus escolar matando meninos de 6 anos. Hamas está atacando você, Presidente, e os Estados Unidos por terem matado Bin Laden (essa foi forte! Obama foi lembrado de um fato básico demais). Então, Israel não vai negociar com um governo tem apoio de um grupo que é a versão palestina da al-Qaeda. Eu acho que o presidente Abbas (do grupo Fatah que controla a Cisjordânia, enquanto Hamas controla a Faixa de Gaza) tem um escolha muito simples. Ele deve decidir se quer paz com Israel ou quer paz com o Hamas. Espero que ele escolha o lado certo: paz com Israel.

     c) Bibi mostra o que Obama e palestinos devem esquecer quando falarem de paz com Israel.

A terceira realidade é que o problema dos refugiados palestinos deve ser resolvido no contexto da formaçao do estado palestino, mas não dentro das fronteiras de Israel. Os ataques dos árabes em 1948 resultaram em dois problemas de refugiados (aqui Bibi continua didático, o que humilha quem se supõe saber de tudo): refugiados palestinos e refugiados judeus que forma expulsos das terras árabes.  
Israel absorveu os refugiados judeus, mas a vasta maioria do mundo árabe recusou a receber os refugiados palestinos. Agora, os palestinos chegam para Israel e dizem que os israelenses devem receber os filhos, netos e bisnettos desses refugiados, destruindo o futuro do estado de Israel. ISSO NÃO VAI ACONTECER. Todo mundo sabe que isso não vai acontecer. E acho que é a hora de dizer aos palestinos: isso não vai acontecer. O problema dos refugiados pode ser resolvido, deve ser resolvido, mas não vai ser resolvido dentro do estado judeu. 

d) Agora vem o fechamento das porradas, lembrando o histórico de sofrimento do povo israelense. 

O Presidente e eu discutimos todos esses problemas, e acho que nós temos diferenças aqui e acolá. Mas eu acho que há uma vontande comum de construir uma paz genuína entre Israel e os palestinos, que seja defensável (aqui chamou a proposta do Obama de ilusão de novo).  

Sr. Presidente, você líder um grande povo, o povo americano. Eu sou líder de um povo muito menor, mas também grande povo. É a antiga nação de Israel (aqui ele começa a lembrar a Obama que Israel tem um passado longo na região). Nós estamos na região por quase 4 mil anos. Nós temos experimentado luta e sofrimento como nenhum outro povo. Nós temos passado por expulsões, campos de concentração, massacres e assassinatos em massa. Mas eu posso dizer que mesmo diante da morte, mesmo no vale da morte, nós nunca  perdemos a esperança e nós nunca perdemos nosso sonho de restabelecer a soberania do estado de nossa antiga terra, a terra de Israel.  

E agora está sob os meus ombros, como primeiro-ministro, neste período de grande instabilidade no Oriente Médio, trabalhar com você e estabelecer um paz que assegure a Israel segurança e não ameace a nossa sobrevivência. Eu aceito essa responsabilidade com orgulho, mas com muita humildade.Porque, como eu lhe disse na nossa conversa, nós não temos uma margem grande para erros. E porque, Sr. Presidente, a história não dará ao povo judeu uma nova chance (essa foi uma frase para se colocar na parede). Então, nos próximos dias, semanas e meses, eu estarei trabalhando com  você na busca da paz que resolva nossas preocupações de segurança, procurar o reconhecimento que desejamos dos palestinos, para dar um futuro melhor para Israel e para toda a região. Eu agradeço por essa oportunudade para trocarmos pontos de vista e trabalharmos juntos. Muito obrigado.

Sabe quando você ver uma discussão entre Schumacher e um bêbado para saber quem é o melhor piloto? Assim foi a discussão entre Netanyahu e Obama para saber quem tinha o melhor plano de paz para o Oriente Médio.

China: Trabalho Forçado, Aborto, Suicídio e Perseguição


A China distribui morte entre dissidentes, cristãos, mulheres e crianças. Eu não preciso dizer nada, vou deixar vocês com dois vídeos da Rome Reports..

O primeiro mostra Harry Wu da Laogai Foundation (símbolo acima). Ele é dissidente político e ficou em trabalho forçado e tortura por 19 anos. Neste vídeo, há também o depoimento de Reggie Littlejohn, presidente da Direitos das Mulheres sem Fronteiras.(símbolo abaixo).


O segundo vídeo mostra o pedido de preces do Papa para os católicos na China. Todos nós precisamos rezar por eles, e respeitar a coragem que eles possuem.

Traduzo os vídeos em azul.


video

Ele foi torturado e recebeu pena de trabalho forçado por 19 anos. Agora, Harry Wu, passa seu tempo tentando lutar contra um sistema que o escravizou por quase duas décadas.

Harry Wu (Fundador da Laogai Foundation) diz: "Vivia como um animal. Se eu não trabalhasse, eles tiravam minha comida".

Elas são chamadas Prisões Laogai ou campos para trabalhos forçados. Falar contra o governo chinês é suficiente para ser preso para a vida toda. Quando ele tinha apenas 19, Wu foi considerado contra-revolucionário. Durante uma recente visita a Roma, ele falou sobre seus tempos na solitária.

Harry Wu: "Seis pés de comprimento, três de largura e apenas três pés de altura, feito de cimento. Então eu fui posto dentro, sem lençol, sem comida, sem água. Você tem de confessar. Depois de três dias, se você não confessa, eles não deixam você sair".

Wu sobreviveu e mais tarde foi para Washington. Mas ele diz que é um problema que ainda existe, com aproximadamente mil Prisões Laogai por toda a China.

Harry Wu: "Há de três a cinco milhões de pessoas que fazem trabalho forçado, isto ajuda ao governo"

Ele diz que produtos como partes automotivas, ferramentas e mesmo luzes de Natal são feitas por prisioneiros. Apesar de leis internacionais, que proíbem venda de produtos feitos em campos de trabalho forçado, Wu diz que esses produtos são vendidos nos Estados Unidos.

Outro problema é a liberdade religiosa.

Wu diz: "Todas as igrejas, todos os templos são propriedades do governo. Todos os padres e pastores dissidentes são enviados para trabalhos forçados."

Por anos, Reggie Littlejohn tem denunciado o governo, dizendo que o abuso vai além das paredes das prisões. A lei da China que diz que se pode ter apenas uma criança tem levado centenas de milhares a abortos forçados.

Reggie Littlejohn (Presidente da Direitos das Mulheres sem Fronteiras) diz: "A política de apenas uma criança é feita por meio de abortos e esterilização forçados e infanticídio"

Ela diz que se uma mulher não registra sua gravidez com o governo chinês, eles podem fazer aborto violento, sem considerar o tempo de gravidez.

Reggie diz: "Se você tem uma segunda criança, você pode simplesmente pagar uma taxa. O que eles não dizem aos turistas é que essa taxa pode chegar a 10 vezes o salário anual. Cada dia, aproximadamente 500 mulheres cometem suicídio na China. 

Littlejohn acredita que isto está diretamente relacionado com as leis de planejamento familiar. 

Uma vez que há muito mais homens que mulheres na China, isto tem provocado sérios problemas.

Reggie diz: "Uma vez que há um desequilíbrio na China, e a presença de 37 milhões a mais de homens que mulheres,  muitas mulheres e meninas são trazidas de países vizinhos."

A luta contra esses abusos tem sido por anos. Até eles realizarem mudanças, a luta continuará, dizem os ativistas.

video

O papa Bento XVI disse durante a audiência de 18 de maio que "na China, Cristo está vivendo sua paixão", e que embora haja um aumento de pessoas no país que se abrem para Cristo, há muitos outros que o ignoram e o perseguem. O Papa pediu que todos rezassem pela Igreja Católica da China a qual é ainda incapaz de encontrar plena comunhão com Roma.

Papa Bento XVI: "A Igreja toda se junta em oração com a Igreja na China. Lá, como em outros lugares, Cristo está vivendo sua paixão. Enquanto aumenta o número daqueles que aceitam Cristo, muitos outros rejeitam e o perseguem".

O Papa falou da difícil situação que bispos e padres enfrentam na China e conclamou todos a rezarem por eles.

Papa Bento XVI:   "Todos os católicos do mundo têm o dever de rezar pela Igreja na China: esses membros da fé têm o direito de nossas orações, eles precisam delas"

O Papa lembrou que no dia 24 de maio as orações serão especiais para a Igreja na China. É o dia da Virgem Maria, a ajuda dos cristãos, que é venerada com grande devoção em Xangai".