quarta-feira, 31 de maio de 2017

Vídeo: Artistas Que Querem Matar, Decapitar, Espancar Trump.



Ontem, uma comediante resolveu encenar a decapitação de Trump.

Imagina se alguém fizesse isso com Obama.

Seria preso e seria primeira capa dos jornais brasileiros e do mundo todo.

A Fox News resolveu mostrar outros artistas que desejaram matar ou espancar Trump no vídeo acima.

Eu sempre fico impressionado como artistas pensam que fazer boa música ou ser bom ator significa que eles sabem também sobre política, cultura e religião.

No Brasil, os artistas parecem querer a volta de Lula, será que foi pouco o nível de corrupção de dinheiro público e de valores?



3 comentários:

Adilson disse...

Sinceramente? Estou reduzindo meu tempo na internet, especialmente no facebook. E um dos motivos é justamente essa podridão mental que a esquerda está espalhando pelo mundo afora, especialmente na sociedade dos EUA. Recentemente, o youtuber disse algo que me fez lembrar o que o 'THYSELF, O LORD' vem dizendo há anos: um genocídio cultural é o princípio para um grande genocídio humano. Realmente. Creio que o que virá será bem mais tenebroso do que o que ocorreu no final da Idade Antiga e durante a Idade Contemporânea, com a ascensão dos regimes totalitaristas, filhos das ideias modernistas. E o aborto é um dos sinais mais terríveis dessa verdade. Mas o que mais me assombra, é a ausência do clamor dos líderes da Igreja: não seria momento para bispos e o próprio papa fazer o que fez aquela primeira ministra da Polônia?

Isac disse...

Precisamos odiar. O odio é a base do comunismo - Lênin.
Dura é a existencia de quem passa por lavagem cerebral, tem sua vida controlada por outros e os segue como autômatos!
Os artistas defensores de comunistas procedem com mercenarios, inimigos do povo, defendendo algo que jamais aceitariam para si; afinal, chumbo no traseiro dos outros não dói!
Onde reside, por ex., o esquerdinha-caviar, o Chico Buarque?
Paris!

Pedro Erik disse...

É realmente muito triste ver o clero dos nossos dias, Adilson.
Não é novidade ver um clero pecaminoso na história. Mas talvez tenhamos chegado a níveis críticos.
Abraço,
Pedro Erik