terça-feira, 30 de novembro de 2010

Enquanto o Mundo olha Irlanda, Portugal, Espanha... Crise Chinesa?





Ontem no jornal The Telegraph, Mark Hart, chefe do Corrientes Advisors, um fundo hedge de investimentos, disse que a China será a fonte de nova crise financeira.

Hart apresentou as seguintes razões:


Percepção do Mercado: O mercado acredita que o governo chinês tem amplos recursos para salvaer os bancos, em caso de crise. Mas a dívida do governo em relação do PIB é de 107%, cinco vezes maior do que mostra os números oficiais. O número real pode chegar a 200%. 

Matéria Prima: A produção chinesa está acima da capacidade. Isto pode ser visto com o cimento ou o aço.

Construção civil: Há um excesso de terrenos para construção. Há 3,3 bilhões de metros quadrados para ser construídos.

Preços das propriedades: A relação preço/aluguel em oito principais cidades chinesas é de 39,4. Nos Estados Unidos, esse número foi de 22,8 antes da bolha imobiliária. Isto é, as casas estão excessivamente caras. 

Setor bancário: Há muitos créditos de má qualidade para o mercado imobilário nos bancos. Na China são companhias locais que pegam dinheiro dos bancos para investir em ativos fixos que possuem a grande parte desses créditos.

Hart considera que em vez de ser a máquina que leva a economia mundial, a China é um grande risco.

Ele está tão convencido em sua teoria que ele diz que o fundo China Opportunity está preparado para jogar fora 20% do caixa dele todo ano até sua teoria estar provada.

Ainda no mesmo jornal,  mostra-se que a inflação chegou de vez nas paragens chinesas. Os alimentos são a face mais visível disso. No último mês, os alimentos tiveram aumento de 10%.

O efeito das ações monetárias chinesas para conter a inflação (aumento de juros, aumento do abastamecimento pelo governo) pode prejudicar o mercado de commoditites, com consequências para toda a economia mundial.

Não sei se haverá crise com fonte chinesa, pela simples razão que eu não consigo responder a uma pergunta: Podemos confiar nos númemros divulgados pelo governo chinês? Hart diz que não.


Além disso, merece todo cuidado essa análise de Hart por outra simples razão: crise na Irlanda, Portugal ou Espanha é nada frente a uma crise na China.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Como se Faz Oposição por Princípios




Acima é uma foto do vídeo no youtube em que Nigel Farage, no dia 24 de novembro passado, detona o presidente do Conselho da União Européia (Herman van Rompuy) e toda a idéia de União Européia, com frases como: "Nós não queremos esta bandeira (se referindo à bandeira da União Européia)" ou "Que Diabos vocês pensam que são (para falar sobre quando os países podem ter eleições gerais)"?

Farage ensina como se faz oposição sem medo, sem apego ao cargo, apenas pelos princípios.

Traduzo livremente o vídeo abaixo, para vocês terem uma idéia disso:

Mesa debatedora: Mr. Nigel Farage, falando sobre Liberdade e Democracia

Farage: "Bom dia, Mr. Herman Rompuy (presidente do Conselho Europeu), você está no cargo por um ano e durante este período todo o edifício está começando a desmoronar, há caos, os recursos estão acabando, eu deveria agradecer a você. Você deve ser talvez o rapaz modelo (pin up boy) para o Euro tomar seu caminho. Apenas olhe essa Câmara nesta manhã, olhe os rostos, olhe o medo, olhe a raiva, Paul B disse que parece que ele viu um fantasma. Eles começam a entender que o jogo acabou. E no desespero para preservar seus sonhos (cargos), eles querem acabar com qualquer traço de democracia do sistema.

Está bastante claro que nenhum de vocês aprendeu nada. E você mesmo, Mr. Rompuy, que disse que o Euro trouxe estabilidade. Eu acho que posso aplaudir você, por ter senso de humor. Mas isto é apenas uma mentalidade de bunker (trincheira de guerra). Seu fanatismo é público. Você fala que é mentira que uma nação poderia existir no século 21 com o mundo globalizado. Bem, isto pode ser verdade para a Bélgica (país de origem de Rompuy), que nem teve governo por seis meses.

Mas pelo resto de nós, todos os cidadãos de todos os membros dessa União, talvez seja por isso que você vê o medo nos rostos, a grande maioria das pesssoas diz:

"nós não queremos esta bandeira, nós não queremos o hino, nós não queremos esta classe política, nós queremos que tudo vá para a lata de lixo da história".

E nós tivemos a grande tragédia no começo deste ano e agora nós temos essa situação na Irlanda. Agora, eu sei que a estupidez e ganância dos políticos da Irlanda tem muito a ver com isso. Eles nunca, nunca mesmo, deveriam ter se juntado ao Euro. Eles sofreram com as baixas taxas de juros, um falso boom econômico e um depressão massiva.

Mas olhe a sua resposta para eles, você disse que seria inapropriado ter uma eleição geral, e o Comissário aqui que disse que eles tinham que concordar primeiro com o orçamento, para serem permitidos ter uma eleição geral. Apenas, que diabos vocês pensam que são? Vocês são pessoas muito muito perigosas mesmo. As obssessões de vocês para criar essa zona do Euro, significa que vocês estão felizes em destruir a democracia dos países.

Vocês estarão felizes com milhões e milhões pessoas estarem desempregadas e pobres. Milhões de pessoas poderão sofrer para que seus sonhos com Euro possa continuar. Mas não funcionará, porque Portugal é o próximo, com seu elevadíssimo nível dívida de 75% do PIB. E depois disso, eu suspeito que será Espanha. E ajuda para Espanha teria de ser 7 vezes maior que a ajuda para Irlanda. Neste momento, todo o dinheiro para ajuda terá acabado. Mas é pior que economia, porque vocês roubaram a identidade das pessoas roubaram a democracia, e tudo que sobrou foi nacionalismo e violência. Mas eu realmente espero e rezo que antes disso, o mercado destrua o projeto Euro."

Mesa debatedora: Obrigado, próximo palestrante...

domingo, 28 de novembro de 2010

Momento Mágico

Ontem, Mohamed Osman Mohamud, 19 anos, um somali que nasceu nos Estados Unidos, foi preso 18 minutos antes de se acenderem as luzes de Natal na praça Pioneer Courthouse em Portland, Oregon. O ato de acender as luzes da cidade é uma cerimônia que é assistida por milhares. No ano passado, já ocorreu uma tentativa de explodir um avião que vinha da Holanda para Detroit no dia de Natal.  O terrorista, Umar Farouk Addulmutallab ficou conhecido como o terrorista do Natal (Christmas Bomber).

Os terroristas muçulmanos paracem que não suportam o Natal. Para eles dedico esse momento mágico abaixo:

Enquanto isso, em um shopping em época de Natal, alguém lembrou que é época de Natal.

video


sábado, 27 de novembro de 2010

Quanto custa União Européia, Mercosul e Unasul ?





O jornal inglês Daily Express se tornou na quinta-feira o primeiro jornal britânico a defender abertamente a saída da Grã-Bretanha da União Européia. Apesar do alarde do anúncio, o jornal está apenas seguindo a maioria da opinião pública do país e outros reconhecidos comentaristas como Richard North do Blog EU Referendum que há muito tempo luta por isso. Mas o jornal inclusive lançou uma Petição On Line.

As justicativas para a saída da União Européia são: rapinagem (larceny), ameaças (bullying), regulações demais (over-regulation) que destroem empregos e reduzem a capacidade de controlar a entrada de imigrantes e de deportar suspeitos de práticas terroristas, além de toda espécie de interferência (all-round interference) nos assuntos domésticos ingleses.

Apesar de não fazer parte da zona do euro, os contribuintes ingleses viram que, por causa do Tratado de Lisboa da União Européia, a Grã-Bretanha tem de socorrer outros países com dinheiro público.

Na mesma edição, o jornal convidou Daniel Hannan, que é um parlamentar representante do Reino Unido na União Européia, para escrever sobre quanto custa a União Européia em relação a alternativa de deixar o grupo. Hannan, apesar de fazer parte do parlamento, é um conhecido defensor, há muito tempo, da saída do seu país do grupo. Inclusive, enfrenta discussões internas no seu partido que, apesar de ser o partido conservador, não defende abertamente a saída da comunidade.

Ele costuma fazer críticas à União Européia diretamente no parlamento. Há muitos vídeos no youtube em que ele faz isso, argumentando especialmente contra o tamanho, o custo e abrangência da burocracia européia e também criticando o euro, como este vídeo:

No texto que escreve para o jornal, ele começa dizendo que todos os custos que o atual primeiro-ministro David Cameron (que é do mesmo partido de Hannan) quer fazer para conter o déficit público equivalem ao dinheiro que o país está enviando para salvar a Irlanda da falência. Isto é, os cidadãos ingleses deverão absorver um ajuste fiscal, enquanto o país gasta para manter o euro na Irlanda pelo mesmo custo. E os irlandeses ainda reclamam.

A Grã-Bretanha contribui com 14 bilhões de libras para o orçamento da União Européia. Além disso, tem o custo da enorme burocracia com as regulações e também aquele que provém das políticas européias que reduzem a capacidade econômica da Grã-Bretanha.

Daniel Hannan, em seu blog no The Telegraph, diz que a própria Comissão Européia avalia que o custo da burocracia da comunidade de países é de 600 bilhões de euros por ano, enquanto os benefícios do mercado comum equivalem a apenas 120 bilhões de euros.

Sem falar que a Grã-Bretanha geralmente tem déficit comercial com a Europa e superávit com o resto do mundo. O que quer dizer que não haveria perdas comerciais com a saída da comunidade de países.

A relação custo-benefício deve variar por país, claro, e, por vezes, deve depender da circusntância financeira, mas as consequências de permancer membro da União Européia para Grã-Bretanha são assustadoras.

E para nós brasileiros, o Mercosul não é zona de livre comércio, não é mercado comum, nem muito menos uma união monetária e macroeconômica. Mas quanto custa manter a burocracia em relação aos benefícios que eles nos proporcionam? Acho que a burocracia ainda é pequena, mas será que é tão pequena comparado ao que ele é?

E a Unasul que teve reunião ontem? O Congresso brasileiro ainda não aprovou o tratado constitutivo do grupo, mas terá futuro a formação de uma comunidade de países da América Latina nos moldes da União Européia?

Devemos observar o que está havendo com a União Européia hoje, para termos uma idéia do resultado do aprofundamento das relações dentro do Mercosul ou da formação da Unasul.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

12 Respostas para Teologia do Dia-a-Dia (2a Parte)



Vamos, então, para a Segunda Parte do post de ontem sobre Mitos teológicos que se ouve no dia a dia.
 
7. "Dissidência é uma coisa positiva, uma vez que nós ficamos abertos a novas idéias."
Muitas pessoas acham a Igreja Católica muita rígida nos seus princípios. Eu já acho, especialmente a Igreja Católica no Brasil, muito fraca na defesa desses princípios. 

Mas na defesa desses princípios, há dois mil anos, há debates, com excepcionais doutores da Igreja, como São Tomás de Aquino, Santo Agostinho e Santo Inácio de Loyola e Santo Afonso de Ligório. Muito do que é sugerido pelos dissidentes já foi debatido na Igreja e renegado há muito tempo.
A Igreja tem que proteger a integridade da Fé, mas está aberta a debates, só que a grande maioria já foi discutida e as pessoas (incluindo muitos padres) não sabem.


8. "Propriamente interpretada, a Bíblia não condena os homossexuais. Ela é contra a promiscuidade, seja de homossexuais ou heterossexuais. Por isso, não há razão para não se aceitar o relacionamento homossexual"
Para mostrar que há sim na Bíblia passagens explícitas contra atos homossexuais, apresentamos passagens tanto do Velho como do Novo Testamento.

Do Velho Testamento em Levítico (18:22):

"Não te deites com um homem, como se fosse com uma mulher: é uma abominação."

Ainda no Velho Testamento, em Gênesis (19: 4-10) mostra-se que os homens de Sodoma eram homossexuais que queriam fazer sexo com homens dentro da casa de Lot. Veja a passagem:

"Ainda eles (os anjos) não se tinham deitado, quando os homens da cidade rodearam a casa (de Lot). Eram os homens de Sodoma, desde os jovens até aos velhos, o povo todo, sem exceção.   
Chamaram Lot e disseram-lhe: «Onde estão os homens que vieram para a tua casa esta noite? Trá-los para termos relações com eles».
Lot veio à porta e, fechando-a atrás de si, disse-lhes: «Meus irmãos, peço-vos: não façais esse mal.
Vede! Eu tenho duas filhas que ainda são virgens; eu vo-las trarei: fazei com elas o que achardes melhor. Mas não façais nada a estes homens (anjos), porque eles estão hospedados em minha casa». Mas eles responderam: «Sai daí! Este indivíduo veio como imigrante e agora quer ser juiz! Pois bem! Nós vamos fazer-te pior do que a eles». E empurraram Lot, tentando arrombar a porta. Os visitantes (anjos), porém, estenderam os braços e puxaram Lot para dentro, fechando a porta.
Quanto aos homens que estavam à porta, feriram-nos com a cegueira, do menor ao maior, de modo que não conseguiam encontrar a entrada."

Esse fato é confirmado no Novo Testamento (Judas 1:7):

"De igual modo, Sodoma e Gomorra e as cidades vizinhas, que igualmente se entregaram à libertinagem e correram atrás de vícios contra a natureza; elas servem de exemplo, sofrendo as penas de um fogo eterno."

Também no Novo Testamento, São Paulo nos fala em Romanos (1: 26-27):

"Trocaram a verdade de Deus pela mentira e adoraram e serviram a criatura em lugar do Criador, que é bendito para sempre. Ámen. Por isso, Deus entregou os homens a paixões vergonhosas: suas mulheres mudaram a relação natural em relação contra a natureza. Os homens fizeram o mesmo: deixaram a relação natural com a mulher e arderam de paixão uns com os outros, cometendo actos torpes entre si, recebendo dessa maneira em si próprios a paga pela sua aberração."

9. "Católicos deveriam seguir sua consciência em todas as coisas, seja aborto, controle de natalidade, ordenação de mulheres"
O Catequismo católico ressalta a livre vontade. Isso é doutrina da Igreja muito bem defendida por São Tomás de Aquino ainda no século XIII. Mas a nossa livre vontade não deve ser ignorante das leis divinas, temos de ter consciência dos preceitos do cristianismo.

10. "Planejamento Familiar é apenas uma versão católica para controle de natalidade."
A primeira crítica da Igreja Católica ao controle de natalidade é que age de forma não natural. Ele age para  retirar do sexo da sua consequência (gravidez), eliminando o sagrado do ato sexual. O Planejamento Familiar mantém o sagrado no sexo e os casais terão de discutir quando deverão ter crianças.
Aqueles que são a favor do controle de natalidade geralmente argumentam que muitas pessoas que são pobres não podem sustentar mais filhos ou estão doentes. A Igreja responde que é justamente por isso que favorece o Planejamento Familiar. As famílias devem saber quando podem ou não ter filhos, e sabendo-se da consequência do sexo, favorece-se o uso adequado dele.

11. "As pessoas podem ser a favor do Aborto e ao mesmo tempo serem católicas."
O aborto para a Igreja é idêntico ao homicídio. É pecado contra o 5º mandamento. Aconselhar alguém a cometer aborto ou mesmo votando em um político que defenda a causa do aborto é um pecado grave, porque isso leva a um pecado mortal.

Muitas pessoas dizem que apesar de acharem que a mãe pode decidir ter ou não ter o filho, não quer dizer que elas são a favor do aborto.


A Igreja responde olhando para os direitos do ser humano ainda no ventre da mãe. Está no Catecismo Católico:

 " O direito inalienável da pessoa deve ser reconhecido e respeitado pela sociedade civil. Os direitos humanos não depedem nem de uma pessoa nem dos pais, nem eles representam uma concessão do estado, eles pertencem a natureza humana e são inerentes na pessoa desde a sua origem."


12. "A memória das pessoas na sessões de hipnose provam que há vidas passadas."

Para responder isso basta dizer que isso não foi provado. Os cientistas detectam várias histórias nas sessões de hipnose, mas foram reveladas serem apenas estórias criadas pelos pacientes no estado de hipnose, não há casos provados de aparição da pessoa no passado. O site que usei para fazer esse post , Inside Catholic, usa um caso famoso (Bridey Murphy case), que gerou um livro chamado "The Search of Bridey Murphy", que depois foi exposto como fraude, como pode ser visto no site The Skeptic's Dictionary.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

12 Respostas para Teologia do Dia-a-Dia (1a Parte)



Neste blog, eu digo que me concentrarei em escrever sobre política e economia internacional, mas quem me acompanha sabe que gosto também de escrever sobre teologia. A minha seleção de blogs que gosto de ler mostra isso também. Já cheguei aqui a citar vários escritores cristãos que admiro, mesmo não sendo católicos, como William Craig, de cujos livros recomendo a leitura

Ontem, eu vi  um texto muito interessante no site Inside Catholic. Gostaria de reproduzi-lo para os meus poucos, mas ótimos, leitores, com meus comentários e também usando os excelentes argumentos do site . O texto se chamada 12 Myths Every Catholic Should be Able to Answer (12 Mitos que Todo Católico Deveria Saber Responder).

Eu sempre escutei que política e religião não se deve discutir. E sempre achei isso de uma idiotice sem tamanho. Isso é a exaltação da lei do silêncio, da estupidez, da ignorância. Apesar disso, já tive o prazer de debater sobre religião em muitos bares com amigos. Este texto, do Inside Catholic, é interessante porque muito do que ele discute, você certamente já ouviu alguém dizer.

Vou apresentar os mitos em duas partes. Amanhã, eu completo. Aqui vão os primeiros 6 Mitos:

1. "Não há esse negócio de verdade absoluta. O que é verdade para alguns pode não ser para outros."

O próprio argumento já é uma verdade absoluta em si, então, ele se contradiz sem precisar de outros argumentos. Isto é,  dizer que verdade absoluta para todos e dizer que não há verdade absoluta para todos  são duas verdades absolutas. São argumentos que valem para todos, são verdades que valem em qualquer circunstância. Neste sentido, a afirmação acima é uma contradição em si. 

Além disso, se não há verdade, você pode acreditar em qualquer coisa e não há nada que alguém possa dizer. O ladrão pode matar, o político pode roubar, a mãe pode abortar fetos e mesmo matar seus filhos já nascidos. 
Geralmente, esse argumento vem junto de outro ponto: "se você não ferir alguém, então tá valendo". Aí cabe-nos perguntar, o que é ferir? Quando alguém está ferido?
Assim, quanto mais você discute, mais você verá que a idéia de certo ou errado não pode ser arbitrária, terá de vir de algo universal, maior, além de nossas preferências.
2. "Cristianismo não é melhor que qualquer outra fé. Todas as religiões vêm de Deus."
No entanto, o Cristianismo faz uma séria de considerações que dizem basicamente que Jesus é filho de Deus e é Ele mesmo Deus. Ele morreu e ressucitou para nos salvar. Isso é rejeitado por várias religiões. Então, elas são completamente diferentes. 
Além disso, Jesus diz: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vai ao Pai, senão por mim". Se Jesus é Deus, então Ele é a verdade e só ele é o caminho. Não há como acreditar em outro caminho, sendo cristão.

 3. "O Velho e o Novo Testamento se contradizem. Se um Deus onipresente inspirou a Bíblia, Ele nunca permitiria erros."
Você pode encontrar muitas supostas contradições na Bíblia. Cabe, no entanto, lembrar que a Bíblia é formada por livros de diferentes gêneros: história, teologia, poesia, assunto apocalíptico, prevérbios, etc. Estes gêneros têm diferentes métodos de escrita e abrangências. Não se pode retirar partes destes livros e usá-los desconhecendo seus gêneros, métodos, intenções, quem escreveu e para quem foi escrito. Além disso, para um Cristão, Jesus Cristo instituiu uma Nova Aliança com os homens. Ao instituir isso, Ele eliminou vários cerimoniais do velho testamento.
O site Inside Catholic analisa algumas destas contradições expostas na Sociedade Ateísta Americana (American Atheists). Por exemplo, no Velho Testamento, há o preceito de se respeitar o sábado (Êxodo 20:8) e no Novo Testamento, São Paulo, em Romanos (14:5), elimina essa necessidade, igualando os dias, ao dizer: "Há quem faça diferença entre um dia e outro, enquanto outro acha que todos os dias são iguais. Cada qual siga a sua convicção." 
Sem falar que Cristo realizou milagres em qualquer dia na frente dos fariseus que o repreenderam. É a Nova Aliança, o velho testamento tinha sido completado pela vinda de Cristo, não há que se falar nos cerimoniais ditados por ele.
No Velho Testamento em Eclesiastes (1:4) se diz que "Geração vai, geração vem, e a Terra permanece sempre a mesma.". Mas, no Novo Testamento, São Pedro nos diz (2 Pedro 3:10) que: "O Dia do Senhor chegará como um ladrão, e então os céus dissolver-se-ão com estrondo, os elementos derreter-se-ão, devorados pelas chamas, e a Terra e todas as obras, que nela há, desaparecerão". Então, a Terra vai acabar ou não?


Para se resolver isso basta observar o gênero dos dois textos. Eclesiastes usa argumentos seculares, como por exemplo dizer que (Ecle 10:19): "Para se divertirem, fazem banquetes, e o vinho alegra a vida: o dinheiro providencia tudo". Mas, no final do livro diz (Ecle 12:13): "Fim do discurso. De tudo o que se ouviu o resumo é este: Teme a Deus e observa os seus mandamentos, porque esse é o dever de todo o homem".

Se o leitor pára no meio do livro, perde toda a argumentação do autor. 
 
4. "Eu não preciso ir para a Igreja, enquanto eu for uma boa pessoa. Isso é tudo que importa."
Talvez o ser uma boa pessoa é não cometer pecados sérios como matar ou roubar. Mas na missa é apresentado o Corpo de Cristo por meio da Eucaristia, um ato de memória de Cristo, ordenado pelo mesmo: "faça isso em minha mémória" (Jo 6:53-54). Na missa, estamos honrando nossa vida a Cristo também, sendo humildes para com Deus, a Igreja e a comunidade e mostrando publicamente que nosso pensamento e a nossa vida seguirão a luz que vem Dele.
 
5. "Você não precisa se Confessar. Você pode falar direto com Deus."
Bom, para responder que é preciso se dirigir ao padre, basta saber que Cristo disse em Jo 20:21-23: " Jesus disse-lhes novamente: A paz esteja convosco. Assim como o Pai Me enviou, também Eu vos envio a vós. E, tendo dito isto, Jesus soprou sobre eles, dizendo: Recebei o Espírito Santo. Os pecados daqueles a quem perdoardes serão perdoados. Os pecados daqueles a quem não perdoardes não serão perdoados".
Na Carta de Tiago também está escrito (1 Tiag 5: 15-16): "A oração feita com fé salvará o doente: o Senhor o levantará, e, se tiver pecados, será perdoado. Confessai uns aos outros os vossos pecados e rezai uns pelos outros, para serdes curados. A oração do justo, feita com insistência, tem muita força".


Além disso, não há nenhuma passagem na Bíblia em que Jesus diz que devemos confessar nossos pecados a Deus. Ele indica que devemos fazer uma confissão pública. 

 
6. "Se a Igreja verdadeiramente seguisse Jesus, Ela venderia suas propriedades, suas obras de arte, sua arquitetura e daria o dinheiro aos pobres"
  Aqui eu acho que a Inside Catholic não respondeu tão bem como poderia. Para mim basta dizer que este é um argumento de Judas Iscariotes em (Jo 12: 4-8): 
"Judas Iscariotes, um dos discípulos, aquele que ia trair Jesus, disse: «Porque não se vendeu este perfume por trezentas moedas de prata, para dar aos pobres?». Judas disse isto, não porque se preocupasse com os pobres, mas porque era ladrão. Ele tomava conta da bolsa comum e roubava do que nela era depositado. Jesus, porém, disse: «Deixai-a. Ela guardou este perfume para Me ungir no dia da minha sepultura. No meio de vós sempre haverá pobres; ao passo que Eu não estarei sempre convosco»". 
Ele lembrou que a acima da caridade está a adoração a Ele mesmo, que é o amor e a vida. Os pobres sempre existirão pelas próprias escolhas humanas. Isso não quer dizer que Cristo não se preocupou com eles, os mais indefesos.
Além disso, como lembra o site, a Igreja possui peças de arte para honrar a própria civilização humana. E lembra que as acomodações do Vaticano são, na verdade, bem pequenas, grande parte do Palácio do Vaticano é para apresentação das artes e da administração do Vaticano. Na verdade, o orçamento do Vaticano é bastante apertado para um religião de alcance e demandas mundiais.
Continua amanhã...

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Obama já é Pato Manco?





Pato manco (lame duck) é uma expressão usada nos Estados Unidos para descrever políticos, especialmente congressistas e presidentes da república, em fim de mandato. Depois que as eleições foram realizadas, geralmente se tem uns dois ou três meses de interstício para que assumam os novos representantes.

O atual congresso e presidente brasileiros seriam chamados de patos mancos. Nos Estados Unidos, houve eleição para vagas no senado e na câmara, então, o congresso americano é um lame duck.

Muitas pessoas nos Estados Unidos não gostam desse período, acham-no perigoso para aventuras legais do Congresso por meio de emendas para satisfazer lobistas ou grupos de interesse. Geralmente, o presidente americano é comedido no período de lame duck.

O presidente Obama não está ainda no seu período de lame duck. Isso só acontecerá caso se candidate e perca a eleição em 2012. Se vencer em 2012, será um lame duck apenas no final de 2016.

Mas muita gente já deseja que ele não se candidate em 2012. A grande maioria do povo americano acha isso. Veja, por exemplo, pesquisa do Daily Progress de 1 de novembro de 2010 abaixo:



Dois estrategistas políticos do partido do Obama (Partido Democrata), Douglas Schoen e Patrick Caddell,  defenderam no Washington Post neste mês que Obama não deveria procurar se reeleger. O argumento deles é que o país está em forte crise financeira e passa por dificuldades na política externa. O povo americano está ansioso sobre o futuro. Obama conseguiria o coração do povo se deixasse de lado as ambições pessoais e procurasse não se reeleger em 2012, centralizando o restante do seu mandato na solução dos problemas da nação. Para os estrategistas, se ele não fizer isso, enfrentará grande oposição política no Congresso Americano, e não conseguirá se concentrar nos problemas reais.

Será que Obama que assumiu o poder quase como um messias, que ganhou um nobel da paz sem fazer nada, está disposto a deixar de lado as ambições pessoais? Eu não sei, só sei que ele está perdendo apoio até entre os democratas.

Ontem,  uma pesquisa do Zogby International ,que é notícia em todo os Estados Unidos, mostrou que apenas 39% dos americanos aprova o trabalho do Obama e que Obama perderia para três candidatos republicanos se a eleição fosse hoje: Mitt Rommey, Newt Gingrich e Jeb Bush. Sarah Palin está se aproximando, praticamente empatada.



O pior é que ele começa a perder apoio entre os próprios democratas. O apoio dos democratas ao presidente caiu de 78% para 72% em apenas uma semana.

Como Obama fará para se livrar da aparência de pato manco?  Para mim, desistindo da reeleição ele pode estar aceitando ser pato manco. Movendo-se para a direita pode ser que consiga mais apoio do eleitorado, mas desistirá da grande força que o elegeu: a extrema-esquerda. Se a economia melhorar, as coisas podem ficar mais auspiciosas para ele, mas o povo terá que entender que se trata de uma melhora vindo de sua política econômica. 

Mas o Partido Republicano não lhe dará folga em nenhuma circunstância. Isso é bobagem.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Vale Tudo na Guerra contra Terrorismo?






No começo deste mês, George W. Bush lançou seu livro Decision Points e afirmou em várias entrevistas de lançamento do livro que as torturas aos terroristas salvaram muitas vidas em diferentes países. Você acredita nisso? Eu acredito.

Os ataques terroristas não têm alvo militares, os alvos são civis que não foram e nem querem estar preparados para perturbarem suas vidas com medo constante de ataques. E a ideologia ou a religião podem fornecer combatentes extremamente fortes em seus princípios e isso faz com que  haja muita dificuldade para que esses combatentes delatem seus companheiros de luta. Eu não acredito é na idéia de que devemos tratar bem os terroristas pois assim eles acharão que nós somos do bem, e não serão mais terroristas. Isso é bobagem.

Então, vale torturar? Em algumas circunstâncias, sim. O objetivo pode ser mais do que nobre: salvar vidas. Qual é o limite disso? Justamente o objetivo.

E vale fornecer armas para crianças para combater o terror?

No dia 25 de outubro passado, o Obama liberou quatro países de penalidades por usarem Crianças Soldado (foto acima) previstas no Child Soldiers Prevention Act of 2008 ( Lei para Prevenção de uso de Crianças Soldados de 2008). Essa lei proibe ajuda miltar para países envolvidos com o uso de crianças soldado.

Os seguintes países foram liberados das penalidades por Obama: Chade, República Democrática do Congo, Sudão e Iemêm. A justificativa, como está escrito na lei (Seção 404(a)), é o interesse nacional. Abaixo, o memorando assinado pelo Obama.

 
Diante do memorando, 29 organizações de direitos humanos reagiram e enviaram cartas de reclamção ao governo americano, afirmando que o governo dava carta branca para uso de crianças e reduzia seu poder de influenciar na melhora das condições de vida delas.

A publicação Foreign Policy revelou os motivos secretos da administração Obama para perdoar os países infratores:


"We recognize that the United States has a complex set of national interests in each of these countries, including for example, counter-terrorism concerns in Yemen.... "However, the administration could have accommodated these concerns while also showing that it was taking the Child Soldiers Prevention Act seriously and using its leverage strategically to effectively end the use of child soldiers."

(Nós reconhecemos que os Estados Unidos têm um conjunto complexo de interesses nacionais em cada um deses países, icnluindo, por exemplo, preocupações contra-terroristas no Iêmen...Entretanto, a administração tem acomodado essas preocupações mostrando também que está levando o Child Soldiers Prevention Act seriamente e usando isso para estrategicamente e efetivamente acabar com o uso de crianças soldado).

Outra justificativa dada pelo governo americano é que o relacionamento militar com os quatro países é uma medida efetiva para reduzir o uso de crianças em ações militares.

Em outro artigo, a Foreign Office esclarece a ação dos Estados Unidos em cada país.

No Chade, os Estados Unidos estão engajados em atividades contra-terroristas e também trabalhando com os militares do país para lidar com os refugiados que fogem do Sudão. No Congo, os Estados Unidos fornecem treinamento de vários tipos e assessoria militar, além de veículos militares. O Congo é o país que mais usa crianças soldado segundo a ONU, mas de 33 mil lutam na guerra civil do país. Em relação ao Sudão, outras sanções impedem os Estados Unidos de ajudar o governo de Cartum no norte, mas os Estados Unidos dão assistência militar ao Exército de Liberação do Povo do Sul (Southern People's Liberation Army - SPLA), que poderá se tornar o exército de um possível país que se formará com o desmembramento da região sul do Sudão. O SPLA usa por volta de 1.200 soldados. O Iêmen recebe elevada assistência militar dos Estados Unidos. Neste ano, recebeu 151 milhões de dólares. O governo do país está em uma luta sangrenta com membros da al-Qaeda e outros grupos terroristas. Há bastante uso de crianças soldado por esses grupos.

Acessando aqui, você pode ter uma idéia do problema de crianças soldado no mundo.

Mas, e aí? O governo Obama agiu certo ou não? Acho que para responder essa pergunta, nós primeiro devemos nos perguntar onde está a obrigação dos próprios países em conter o uso de crianças soldado? Muito problemas domésticos são muitas vezes considerados problemas dos Estados Unidos, talvez porque seja o país mais rico do mundo, então teria a obrigação de salvar todos os outros. Devemos entender também as limitações tanto da doação como da falta de doação financeira e militar para resolver problemas. Além disso, há o problema da soberania. Até que ponto pode um país regular o comportamento do outro?

Eu acho que a comunidade internacional deve reagir quando um país destrói seu próprio povo, a soberania não pode limitar a ação na defesa da vida.

Diante de tudo isso, eu acho que os Estados Unidos devem impor fortes condições para ajuda militar. Não devem fornecer armas ou ajuda financeira para quem usa crianças. Mas como controlar isso?

Dinheiro só não resolve. É necessário mudança cultural, ética e política. É necessário educação e oportunidades de trabalho. Como fazer isso? Com a ajuda de igrejas, de professores, de empresas, de governos.

O Obama errou ao perdoar os países infratores? Acho que os Estados Unidos precisam do Iêmen para conter a al-Qaeda e o Chade precisa de muita ajuda para sobreviver aos conflitos no Sudão. Considero, no entanto, pelas informações que disponho, que ele erra ao apoiar o SPLA e o Congo.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Baloquistão (ou Baluchistão)





Esse assunto é complexo. Mas se tiverem paciência talvez eu consiga explicar o que eu aprendi.

Geralmente, o mundo costuma pensar que os países da OTAN estão no Afeganistão para derrotar o Talibã, grupo terrorista muçulmano. E essa guerra será vencida quando esse grupo for derrotado. No entanto, a complexidade da região que envolve Índia, Paquistão, Afeganistão e Irã é enorme. Nenhum dos países da região terá paz com a saída dos Talibãs, há muitas diferenças internas nos países e extrema desconfiança com os vizinhos. Sem falar que dos quatro países, dois tem armas nucleares (Índia e Paquistão) e outro está na iminência de ter (Irã).

Aqui, apresento as semelhanças étnicas relevantes entre Paquistão e Afeganistão. Estas semelhanças não ajudam no cenário de guerra. Muitos grupos étnicos desejam se separar dos países que se encontram, para formar um outro país supostamente mais homogêneo.

O Paquistão foi criado em 1947, a partir de uma divisão da antiga Índia que era colônia britânica. A criação do Paquistão respeitou um Linha estabelecida entre essa antiga Índia e o Afeganistão, chamada Linha Durand, que foi formada em 12 de novembro de 1893 entre o líder do Afeganistão, Abdur Rahman Shah e Sir Mortimer Durand, secretário do exterior do governo da colônia britânica na Índia, que deu nome a Linha. Hoje, o Afeganistão não aceita essa demarcação com o Paquistão.

Por que eu expliquei isso? Por que essa linha separa os países, mas não os povos. O  Afeganistão tem  maioria da população formada pela etnia Pashtuns que é o segundo maior grupo étnico do Paquistão.  A etnia Pashtun por sua vez tem duas grandes tribos: os Durrani e os Ghilzai, esta última é muito relacionada ao Talibã. Além dos Pashtuns, há ainda outras tribos e povos. 

Um desses povos é o do Baloquistão (ou Baluchistão ou Baluquistão), que está presente também tanto no Paquistão como no Afeganistão. Acima mostro a bandeira da região do Baloquistão no Paquistão

Eles são o assunto desse post porque o presidente do Partido Nacionalista do Baloquistão, Sardar Akhtar Mengal, denunciou ontem para o chefe da União Européia em Bruxelas que está ocorrendo limpeza étnica, tortura e eliminação de líderes políticos e estudantis na região do Baloquistão. Uma descrição dos problemas também foi enviada ao Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon.

Richard North discute, de forma bem detalhada, os movimentos nacionalistas dos Pashtuns e dos do Baloquistão. Se os Pashtuns desejarem formar um novo país tomarão boa parte do Afeganistão e do Paquistão. E a região do Baloquistão é a maior do Paquistão,  os povos desssa etnia também atravessam para o Afeganistão. Se eles também desejarem formar um novo país, será praticamente o fim tanto do Afeganistão quanto do Paquistão. Obviamente, os comandos políticos e militares dos países não querem nem ouvir falar do assunto, mas também costumam não respeitar a Linha Durand. E os países da região certamente reagirão a qualquer movimento brusco nas fronteiras.

Em suma, a OTAN ainda não conseguiu estabelecer um calendário, mas quer deixar o Afeganistão o mais rápido possível. No entanto, se o mundo esperar que a derrota do Talibã signifique paz, estará sendo ingênuo em excesso. Qual é a solução, então?  Os militares, políticos e membros da ONU que estão lá parecem não saber, quem sou eu, então, para ter alguma idéia.

O Papa e a Camisinha: Agora Pode?



Houve um grande rebuliço, ontem e hoje, no mundo todo sobre uma declaração do Papa que sairá em um livro (Ligth of the World, the Pope, the Church and the Signs of the Time de Peter Seewald, na foto com o Papa) que será lançado no próximo ano, no qual ele responde a uma pergunta sobre se a Igreja é contra em princípio ao uso de camisinha. Ele responde

She of course does not regard it as a real or moral solution, but, in this or that case, there can be nonetheless, in the intention of reducing the risk of infection, a first step in a movement toward a different way, a more humane way, of living sexuality.”

(Ela, a Igreja, não considera que a camisinha seja uma solução nem moral nem real, mas, em um ou outro caso, pode haver, todavia, na intenção de reduzir o risco infecção, um primeiro passo na direção de uma maneira diferente, uma maneira mais humana, de viver a sexualidade)

Quando o autor pediu um exemplo para essa situação, o papa citou o sexo em prostituição. E lembrou:

 "[it is] a first step in the direction of moralization, a first assumption of responsibility, on the way toward recovering an awareness that not everything is allowed and that one cannot do whatever one wants."

(É um primeiro passo na direção da moralização, uma primeira compreensão da responsabilidade, na maneira que se assuma de novo uma consciência de que nem tudo é permitido e que uma pessoa não pode fazer tudo o que deseja).

O primeiro ponto a se destacar é que o papa não falou nada sobre o matrimônio.

Não falou de sexo no casamento, nem entre um casal em que um é soro positivo e o outro não é.

Como lembra Quentin de la Bedoyre, no site Catholic Herald, a proibição para uso de métodos de contracepção artificiais está em dois documentos da Igreja: Casti Connubii (1930) e Humanae Vitae (1968), e também no Catecismo da Igreja Católica, que falam exclusivamente sobre o casamento. 

Não há nenhum ordenamento na Igreja sobre contracepção fora do casamento, homossexual ou heterossexual.

Assim, o Papa não mudou nada em relação ao que a Igreja pensa. Ele não falou sobre o uso da camisinha como contraceptivo no casamento.

Camisinhas para prostituição,  quando a contracepção não é o problema, podem ser usadas para reduzir o risco de ampliação da infecção da AIDS. O Papa mostrou, inclusive, que isso era uma postura de consciência do risco e um primeiro passo na direção da moralidade desejada.

Peter Seewald deu uma pequena entrevista no site do Catholic Herald. Ele ressalta a jovialidade do Papa para lutar pelos princípios da Igreja. Se desejarem ver a entrevista dele, acessem aqui.

sábado, 20 de novembro de 2010

Do Blog do Diabo




O Demônio tem um blog agora. Não é o que vocês estão pensando. O blog serve para alertar para o pensamento demôniaco que por vezes ocorre nas pessoas mesmo quando elas não são contra Deus. Para ficar em um exemplo bíblico, quando Pedro quis liberar Cristo da crucificação, Cristo alertou Pedro que ele estava sendo guiado pelo demônio.

O site está em inglês e se chama Satan's Blog.

Hoje o blog traz uma história terrível: 2000 fetos de abortos ilegais foram encontrados em Bangcoc, todos dentro de sacos de uma associação de caridade, enfileirados no chão de um templo Budista (foto acima). A notícia saiu no Huffington Post  e na Associated Press.

Um odor horrível atraiu as autoridades, que no início, encontraram 300 fetos no templo budista.  Eles retornaram ontem e encontraram mais de 5 vezes esse número em fetos.

Dois coveiros foram presos por esconder os corpos e o empregado de uma clínica de aborto também foi preso por operá-la sem licença. Um dos coveiros, Suchart Poomee, confessou que tinha sido contratado por clínicas ilegais para "destruir" os fetos. Ele disse que faz esse serviço desde novembro de 2009. Mas a polícia acredita que os fetos estejam lá há muito mais tempo.

O aborto é ilegal na Tailândia, exceto em três condições: estupro, risco de morte para a mãe e se o feto não é normal. Os budistas são contra a liberalização das leis de aborto.

O blog do Diabo fica assustado porque não houve nenhum grito de choque em relação à notícia. Pois é, tudo parece bem normal, 2000 vidas jogadas embaixo de um templo, quase ninguém fica sabendo, e o jornal não revela estado de choque. Aliás, eu acho que no Brasil as pessoas só saberão da notícia se conhecerem esse meu blog. O que é terrível.

Outra coisa, eu pergunto, qual a distância entre liberalização do aborto e as possibilidades de aborto acima? Quem irá dizer que o feto é anormal? O que é ser anormal? Eu, por exemplo, poderia não ser considerado normal, quando estava dentro da minha mãe, apresentei muitos problemas físicos quando nasci e o médico só me deu três meses de vida. Quem irá dizer que foi estupro e que há risco de morte para a mãe?.

Como disse o papa recentemente, se a Igreja é para olhar preferencialmente para os mais indefesos, quem é mais indefeso que um feto?

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Proctologista no Aeroporto





Se você está planejando ir aos Estados Unidos visitar várias cidades se locomovendo por aeroportos, saiba que o grande assunto de lá atualmente é justamente isso: aeroportos. Depois que Umar Farouk Abdulmutallab tentou detonar uma bomba escondida na sua cueca em um vôo de Amsterdã para Detroit no natal de 2009, os Estados Unidos implementaram novas medidas de controle de passageiros para evitar ataques terroristas.

O problema é que essa medidas são extremas e estão revoltando a população americana. A charge acima de Jerry Holbert do site www.townhall.com, mostra um jovem vendo revistas masculinas dizendo para a mãe que descerá em um minuto pois ainda está estudando como ser segurança de aeroporto.

Os Estados Unidos compraram uma novo aparelho para fazer scan de todas as pessoas, mas o aparelho faz um raio-x que consegue ver as pessoas sem roupa (foto 1), além disso, há riscos que o aparalho provoque  cancer. Mas se a pessoa se recusar a passar pela máquina, ela deve se sujeitar a ser apalpada de uma maneira bem intrusiva. Vejam fotos 2 e 3.

Foto 1



Foto 2



Foto 3


A jornalista Ann Coulter descreveu o problema como ninguém, aliás ela geralmente faz isso. Ela  lembra que depois dos ataques de 11 de setembro de 2001, houve 19 ataques terroristas em aeronaves. Os terroristas muçulmanos eram 15 da Arábia Saudita, 2 dos Emirados Árabes, 1 do Egito e 1 do Líbano.

Depois do ataque de 11 de setembro foram confiscadas todas as tesouras e agulhas dos passageiros. Isso não evitou os 19 ataques.

Depois de uma tentativa de explodir o avião com líquidos escondidos na meia, o governo exigiu que todos tirassem os sapatos para voar. E agora, depois do uso de cueca para escoder explosivos, o governo quer ver todo mundo nu, antes de voar.

Sobre as máquinas, o pior,  ela diz,  é que não elas não detectam explosivos plásticos ou químicos, elas não evitariam o ataque de Addulmutalab.

No ano passado, um muçulmano escondeu um explosivo em seu ânus e tentou assassinar Príncipe Mohammed bin Nayef da Arábia Saudita. 

Será que o Trasportation Security Administration (TSA), que cuida das revistas de passageiros nos Estados Unidos, está pensando em contratar um proctologista?

O ponto de vista de Coulter é que os ataques são muito mais propensos de serem cometidos por estrangeiros. Então, esses devem ter uma vigilância maior. 

Ela concorda com outros comentaristas dos Estados Unidos de que é preciso usar o método feito por Israel, que é certamente o país mais visado para ataques terroristas no mundo. Israel usa o serviço secreto para fazer  o perfil dos passageiros, além de usar cachorros para detectar explosivos. O receio dos que são contra essa medida é de que se use métodos racistas ou preconceituosos contra os muçulmanos, negros ou latinos.

Eu entendo que as revistas exageradas são equivocadas. Elas parecem demonstrar que o terrorismo venceu, ao colocar o ocidente gastando bilhões e bilhões para manter a segurança e atrapalhando a vida das pessoas. Como disse um passageiro em um vídeo que vi, em qualquer lugar do mundo fora do aeroporto, essas revistas seriam vistas como assédios sexuais. Deve-se procurar outro método. Tendo a concordar que o melhor é fazer perfil de pessoas, e, em certos casos, fazer entrevistas antes do vôos. Mas deve-se reconhecer que não são apenas estrangeiros que estão praticando ataques terroristas, há americanos e europeus atraídos pelo terror. O trabalho do serviço secreto nunca foi tão importante no dia-a-dia das pessoas nos Estados Unidos.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

União Européia caindo como Babel?





Com a União Européia lutando para manter o Euro, ontem o apresentador americano Glenn Bleck , em seu programa na Fox News, trouxe o rabino Daniel Lapin para mostrar as semelhanças entre a história da Torre Babel com a formação da União Européia.  Comparou até o prédio do Parlamento Europeu de Estrasburgo com a representação da Torre de Babel (foto acima).

Na história de Babel (Gênesis 11, 1-9), Deus observa que os homens estabeleceram uma língua só e a partir da formação de tijolos tentaram alcançar o céu fazendo uma torre. Deus fica furioso e faz com que os homens tenham diferentes línguas, destruindo o projeto da torre e espalhando os homens pela face da Terra.

Interessante na explicação do rabino é a comparação que ele faz entre tijolos e pedras, relacionando isso aos homens. Veja a explicação do rabino em inglês original, traduzo posteriormente:

Bricks are really important things here. Later on in the five books of Moses, ancient Jewish wisdom highlights the fact that that an altar — an altar to God must not be built of bricks, right? It has to be built with stones...Because this tension between the bricks and stones is absolutely crucial. Bricks and stones are a biblical metaphor for the way people should be stones, and the way we are easily pulled to be bricks. Number one, every brick is the same as every other brick. That's the whole point. They're totally interchangeable. If you want to turn people to bricks, you are able to turn them into interchangeable social economic cogs that can be just plugged around society. The second thing about bricks is they're made by man. Stones are each unique. When we have a tradition in Western civilization that man is created the image of God, what it really means is that just as God is unique, so is every single human being is unique, just like a stone.

(Tijolos são muito importantes aqui [na história de Babel]. Mais tarde nos cinco livros de Moiséis, a antiga sabedoria judaica ressalta o fato de que um altar - um altar para Deus deve ser feito não por tijolos, certo? Ele deve ser feito por pedras. Porque essa tensão entre tijolos e pedras é absolutamente crucial. Tijolos e pedras são um metáfora bíblica para dizer que as pessoas devem ser como pedras, e a maneira de como nós somos facilmente conduzidos para sermos tijolos. Número um, cada tijolo é igual ao outro tijolo. Isto é o ponto mais importante. Eles são totalmente intercambiáveis. Se você quer que as pessoas se tornem tijolos,  você as tornará apenas peças de engrenagens intercambiáveis socio-economicamente, que podem ser jogadas fora da sociedade. A segunda coisa sobre os tijolos é que eles são feitos por homens. Pedras são únicas. Quando nós temos tradição na civilização ocidental que um homen é criado à imagem de Deus, o que realmente isto significa é que não apenas Deus é único, como cada ser-humano também é único, como as pedras).

Para construir a Torre os homens precisaram primeiro fazer tijolos, eles precisavam primeiro se tornar escravos, facilmente substituíveis.

O que Beck e Lapin querem afirmar é que a União Européia tenta eliminar as diferenças entre os países (cultura, língua, moeda, etc.), tornando cada país e os seus cidadãos simples tijolos para formar uma possível potência mundial, que tem as mesmas leis, regras sociais e sistema econômico.
Atualmente, com Irlanda, Portugal, Grécia e Espanha em forte crise financeira e com os eleitores de França, Alemanha e Reino Unido majoritariamente contra a União Européia, certamente há não apenas uma crise econômica, mas uma crise de sobrevivência.

O Reino Unido, que não usa o Euro, passou a semana saudando o primeiro-ministro John Snow que evitou a adoção da moeda. Além disso, a grande maioria dos eleitores do país quer um referendo para que o país deixe a União Européia. Quanto à França e à Alemanha, as duas colunas de sustentação da torre da União Européia, eles estão, atualmente, implementando medidas de ajuste fiscal para melhorar a situação de seus governos. Gastar ainda mais dos cofres públicos para salvar outros países mais perdulários poderá ser fatal tanto para Sarkozy como para Merkel.

A União Européia ainda não conseguiu estabelecer as mesmas leis, muito menos a mesma língua, para todos os membros, mas já avançou muito nisso e provoca fortes receios nos cidadãos da comunidade a cada passo nessa direção. Há uma destruição da democracia em cada país, em favor das decisões do parlamento europeu.

Eu, que tenho o nome de Pedro, gostei da explicação do rabino. De qualquer forma, saliento que a história dele é interessante para ressaltar a importância da individualidade tanto como princípio religioso (da ligação de cada um com Deus), como para refletir sobre sistema econômico e social. A grande diferença do capitalismo para o comunismo pode ser mostrada pela diferença entre pedras e tijolos também. O comunismo precisa do "juntos venceremos" (tijolos). No comunismo, há eliminaçao de Deus, para que nada fique entre o objetivo final (um paraíso na Terra) e o pensamento das pessoas-tijolos. No capitalismo é o indivíduo que importa, ele tem a liberdade de decidir, é livre para contribuir com a sociedade. E a lei é a garantia que ele não avance sobre as liberdades do outro. Deus, no capitalismo, é uma relação individual, como é na religião.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Que Políticos Devemos Eleger?




Eu fico sempre procurando na internet artigos de P.J.O'Rourke (foto). O texto dele é brilhante, possui muito humor e sarcasmo e ele sempre tem excelentes frases. É garantia de divertimento. Aqui vão algumas frases/pensamentos dele que são muito conhecidos para vocês terem uma idéia:

 - Deus é Republicano (conservador) e Papai Noel é Democrata (esquedista). Deus é velho,severo e patriarcal e não paternal, e sempre acredita em regras e regulações. Ele quer que o homem responda por seus atos. É poderoso e é o proprietário de todas as terras do planeta. Papai Noel é outra coisa. Ele é bonitinho, não ameaça ninguém, é sempre agradável e adora animais. Ele gosta de fazer caridade e é generoso com os pobres. Ele sabe quem é bom e quem é mau, mas não faz nada para mudar isso. Papai Noel é melhor que Deus em todos os aspectos, exceto que Papai Noel não existe.

- Todo Governo é um parlamento de prostitutas. O problema é que na democracia as prostitutas somos nós. 

- Dar dinheiro e poder para governos é como dar whiskey e as chaves do carro para adolescentes.

- Se governo fosse um produto, vendê-lo seria ilegal.

- A boa notícia é que, de acordo com a administração do Obama, o rico pagará por tudo. A notícia ruim é que, de acordo com a administração do Obama, você é rico.

Encontrei um artigo dele na Weekly Standard hoje. Ele fala das últimas eleições dos Estados Unidos, quando os Republicanos ganharam a grande maioria das cadeiras da Câmara e dos governos e ficaram muito próximo de igualar o número de senadores com os Democratas. 

P. J. O'Rourke é Republicano, mas ele é sobretudo contra governos, qualquer governo, como se pode ver com as frases acima. Por isso, ele diz que também perdeu a eleição mesmo com os bons resultados para os Republicanos. Ele explica quando o povo dizer que ganhou uma eleição:


"We will win an election when all the seats in the House and Senate and the chair behind the desk in the Oval Office and the whole bench of the Supreme Court are filled with people who wish they weren’t there." (Nós venceremos uma eleição quando todas as cadeiras da Câmara e do Senado e a cadeira do presidente e todo o banco da Corte Suprema forem preenchidos por pessoas que detestariam estar lá).

"We’ll know we’ve won when every candidate who is voted in begins his or her acceptance speech by saying, “Oh, #@*!”" (Nós saberemos que nós temos vencido quando alguém é votado e começa seu discurso de posse dizendo “Oh, #@*!).

Acho que O´Rourke quer dizer que devemos retirar muito do poder que têm nossos representantes, eliminar muitas regalias que eles usufruem, reduzir os salários deles e aumentar a cobrança sobre eles. Ao ponto que eles tendam a achar que o emprego deles é uma %$#@*&.

É óbvio que não devamos empregar pessoas que detestam o trabalho que elas fazem, no entanto. Se fosse assim, elas tenderiam, como muitos servidores públicos fazem, a procurar férias, inventar licenças, prevaricar, etc. A verdade é que muitos políticos já detestam as obrigações deles que estão na lei e ficam fazendo outras coisas. Muitas não são permitidas pela lei.

No artigo, O'Rourke sugere com muito sarcasmos que os políticos devem ser substituídos por aqueles que fazem parte de juris para julgamentos de setenças, pois a instituição do juri tem funcionado mais ou menos bem desde a promulgação da Constituição e o juri tem decidido melhor que os políticos.

Termino recomendando qualquer livro de O'Rourke. Eu já li dois. Uma é mais técnico chamado: "On the Wealth of Nations"  e  outro bem mais divertido chamado Give War a Chance. Recentemente, ele lançou um livro chamado Don't Vote It Just Encourages the Bastards.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Morreu Henryk Górecki

video

Morreu no dia 12 passado, com 76 anos (quase 77, faria aniversário no dia 6 de dezembro), o brilhante compositor polonês Henryk Górecki. Qualquer um que já assistiu a filmes sobre o Holocausto conhece a música de Henryk Górecki. Em 1992, ele compôs a Sinfonia das Músicas Tristes (Shymphony of Sorrowful Songs, Symphony no.3, Op.36) que é muito comum aparecer em filmes sobre o drama humano da Segunda Guerra Mundial.

Bem antes, em 1979, ele se demitiu de sua posição na universidade em Katowice depois que a Polônia comunista recusou a dar boas vindas ao papa João Paulo II na cidade. Posteriormente, ele ainda compôs Totus Tuus em homenagem a terceira visita do mesmo papa a Polônia. Totus Tuus era o lema desse papa, significa totalmente seu, uma dedicação a Nossa Senhora.

Em homenagem a esse brilhante compositor polonês, apresento a Sinfonia das Músicas Tristes no vídeo acima.

Este é o primeiro vídeo que coloco no blog. Fico muito feliz, pois é uma música belíssima e a produção do vídeo caprichou. Que a música de Górecki viva para sempre.

Lectio Divina




Um filósofo, vamos dizer assim, da moda, atualmente muito influente no governo britânico, chamado Phillip Blond, explicou assim seu caminho na academia: "I started with politics, and then did philosophy because I thought none of the ideas could be understood outside philosophy and then I changed to theology because I thought none of the ideas could be understood outside theology.” (Eu comecei estudando Política e então fiz Filosofia porque eu pensei que nenhuma das idéias poderiam ser entendidas fora da Filosofia, e então eu mudei para Teologia porque eu pensei que nenhuma das idéias poderia ser entendida fora da Teologia).

Pois é, nas universidades da idade média já se sabia disso. Se desejarem conhecer mais sobre como a idade média estudava, leiam God's Philosophers de James Hannam.

Falo desse assunto, pois no dia 11 passado o papa Bento XVI lançou o que é considerado o mais importante documento sobre as escrituras da Bíblia desde o Concílio Vaticano II de 1965.

O documento se chama Verbum Domini (A Palavra de Deus) e nele o papa exorta os católicos a lerem mais a Bíblia. Isso pode parecer comum, mas não é. Os católicos, ao contrário de muitos membros das religiões evangélicas, não são conhecidos por lerem a Bíblia. A própria Igreja Católica por séculos tentou restringir a leitura de leigos da Bíblia com receio de interpretações heréticas. Há apenas 100 anos isso mudou e o papa reforça a necessidade de que os leigos se debrucem mais sobre o texto sagrado.

O papa ressalta um método de leitura chamado Lectio Divina. Esse método afirma que o estudo dos textos bíblicos deve ser feito seguido de oração, meditação e contemplação de Cristo. O papa ainda falou que essa leitura deve levar a atos cristãos, como a caridade.

Mas o papa lembrou que deve-se evitar o risco de uma abordagem individualista das escrituras, pois a "Palavra de Deus nos é dada precisamente para construir comunhão, para nos unir na Verdade no nosso caminho para Deus. Sendo uma Palavra que se dirige a cada um pessoalmente, é também uma Palavra que constrói comunidade, que constrói a Igreja... A Escritura não pertence ao passado, porque o seu sujeito, o Povo de Deus inspirado pelo próprio Deus, é sempre o mesmo e, portanto, a Palavra está sempre viva no sujeito vivo. Então é importante ler a Sagrada Escritura e ouvi-la na comunhão da Igreja, isto é, com todas as grandes testemunhas desta Palavra, a começar dos primeiros Padres até aos Santos de hoje e ao Magistério atual."

Interessante e mais técnico é quando o papa fala da interpretaçao acadêmica dos textos bíblicos, quando se usa uma metodologia histórica e crítica das escrituras. Ele ressalta a necessidade que isso seja feito, mas lembra o valor da Teologia no estudo da bíblia para que não se afaste Deus da história. Há dois níveis metodológicos que devem ser observados: histórico-crítico e teológico. Estes níveis metodológicos não devem ser contrapostos, nem justapostos. Eles só funcionam em reciprocidade.

A Escritura para a Igreja Católica deve ser interpretada usando três critérios para se respeitar a dimensão divina da Bíblia: "1) interpretar o texto tendo presente a unidade de toda a Escritura; isto hoje chama-se exegese canônica; 2) ter presente a Tradição viva de toda a Igreja; 3) observar a analogia da fé. Somente quando se observam os dois níveis metodológicos, histórico-crítico e teológico, é que se pode falar de uma exegese teológica, de uma exegese adequada a este Livro".

O documento é fruto da XII Assembléia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, celebrada em Roma de 5 a 26 de outubro de 2008. Foi publicado em latim, italiano, inglês, francês, espanhol, alemão, português, polonês. Consta de uma introdução, três partes e uma conclusão.

Se desejar ler o texto completo em português clique aqui.

domingo, 14 de novembro de 2010

Venda de Carbono





A Chicago Climate Exhange (CCX) anunciou que irá fechar suas portas para comércio de emissão de carbono no próximo mês. A CCX foi criada em 2003 e foi o primeiro mercado voluntário de carbono no mundo. Seu fundador, Richard Sandor, foi eleito o Pai do Planeta pela revista Time em 2002, e em 2007 foi denominado o Pai do Comércio de Carbono. Sua fundação, inclusive, contou o apoio do então senador Barack Obama.

Com a crise de credibilidade da ciência da mudança climática (tratei aqui neste blog de várias causas dessa queda de credibilidade, como o os erros grosseiros das análises do IPCC e o vazamento dos emails na principal centro de pesquisa climática do Reino Unido) que provocaram o fracasso da reunião de Copenhague  em 2009 e a não aprovação da lei de cap and trade (limitar as emissões para criar comércio de carbono) nos Estados Unidos, a CCX não resistiu.

Se Obama tivesse conseguido aprovar a lei, a CCX estaria nadando em dinheiro hoje.

O jornalista Christopher Booker fala que falta convencer os políticos que a ciência de mudança climática tem de rever fortemente suas análises para readquirir força para orientar as políticas governamentais e privadas.

Com dinheiro mandando na ciência não se faz ciência.O lobby político e empresarial do desenvolvimento sustentável é muito forte. Exigirá muita cientista isento e muita perda de credibilidade para superar todo a grana que vem desse lobby.

Muitos analistas e cientistas que conheço, muitos eu respeito, entraram muito rápido na defesa da mudança climática, abandonaram os "porquês", "como", "para quem". Largaram a dúvida que deve orientar qualquer cientista.

sábado, 13 de novembro de 2010

Dinheiro e Guerra


O político e filósofo romano Cícero disse que endless money forms the sinews of war (dinheiro em excesso forma os tendões para a guerra).

Não sei se haverá guerra real, com uso de armas letais e mortes (se bem que uma crise financeira também provoca mortes entre os mais pobres), mas a reunião do G-20, que reúne as 20 economias mais poderosas do planeta, não resultou em perspectivas de fim da guerra cambial. Não houve nem vitoriosos, nem derrotados na reunião, isso sempre significa derrota para todos.

Os 20 países não conseguem decidir sobre o modelo econômico mais justo e mais adequado ao desenvolvimento da humanidade. Seguem surdos aos ensinamentos de Bastiat (ver post abaixo).

Muitos países estão contra os Estados Unidos. Naturalmente muitos já são contra, mesmo quando o país acerta. Eles alegam que a administração Obama vem desenvolvimento uma política de desvalorização do dólar desde que chegou ao poder. A guerra no debate desta política é forte mesmo dentro dos Estados Unidos. O ex-presidente do FED (Banco Central dos Estados Unidos), Alan Greenspan (foto acima), escreveu um artigo no Financial Times, atacando o modelo econômico do Obama. Isso aumentou a tensão na reunião do G-20.

Houve também muitos ataques ao modelo chinês que há décadas usa de desvalorizações cambiais para dominar os mercados mundiais. Qualquer país do mundo já fez políticas para conter o avanço das mercadorias chinesas. Além do câmbio, a China usa a falta de democracia para oprimir os trabalhadores do país, que recebem salários absurdamente baixos, o que facilita muito a venda dos produtos com preços muito abaixo dos praticados pelos outros países.  Essa última parte do modelo econômico chinês torna difícil entender por que muitos países de esquerda defendem a China. A China não segue regras básicas do proteção ao trabalhador.

Greenspan também atacou a China: "China has become a major global economic force in recent years. But it has not yet chosen to take on the shared global obligations that its economic status requires."  (A China se tornou uma grande força econômica nos últimos anos, mas não tem aceitado as obrigações globais que o status econômico requer).

A solução que ele apontou é a redução da capacidade de qualquer país em acumular reservas para conter a valorização de sua moeda. Isto é, se o país recebesse, por exemplo, muitos dólares para investimentos ou aplicações financeiras, teria um teto para retirar esses dólares da economia para conter a valorização de sua moeda. O Banco Central não poderia comprar todos os dólares que desejasse. Acho que todos aqueles que estão sofrendo com fortes valorizações, como o Brasil, não concordariam com Greenspan. 

Os problemas básicos, ao meu ver, são a ditadura chinesa e o desespero político de Obama. Os dois principais países da economia global têm sérios problemas políticos. A ditadura chinesa só prolongará o problema. A democracia americana tem mais chances de resolver internamente suas dificuldades. O resto do mundo vai ficar se ajustando aos movimentos dos dois gigantes.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

"Que tal proibir a luz do Sol?




Os vencedores do Nono Prêmio de Jornalismo Frederic Bastiat devem ser anunciados hoje pela International Policy Network (IPN). O IPN é uma organização totalmente financiada por contribuição sem ajuda de governos, que tem como objetivo promover a pesquisa em economia e ciência política.
 
Aproveito para exaltar a instituição pelo Prêmio, que já teve entre seus jurados Margareth Thatcher e Milton Friedman, e principalmente, para exaltar o grande Claude Frédéric Bastiat (foto abaixo). Leiam a biografia dele que está neste link.


Nestes dias de guerra cambial, nada melhor do que Frédéric Bastiat.

Enquanto Marx estava tentando estabelecer uma doutrina para destruir o capitalismo, Bastiat estava reforçando a importância do sistema para liberdade e o desenvolvimento humano. Ele foi um autor brilhante na defesa do livre mercado. Sempre atacando a formação de tarifas para usos protecionistas. Logo no seu primeiro texto declarou que pede a liberdade para todos e não para alguns setores da sociedade ( com uso de tarifas para defender agricultores ou industriais) ou para países.

Definiu assim a ciência econômica:

"The subject of political economy is MAN . . . [who is] endowed with the ability to compare, judge, choose, and act. . . . This faculty . . . to work for each other, to transmit their efforts and to exchange their services through time and space . . . is precisely what constitutes Economic Science."

(O objeto da política econômica é o HOMEM...que é dotado de habilidade para comparar, julgar, escolher e agir... Esta faculdade para trabalhar para o próximo, para transmitir seus esforços e para trocar os seus serviços no tempo e no espaço.. é precisamente o que constitui a Ciência Econômica).

 Bastiat também usou de sátira para atacar o protecionismo. Sugeriu em tom irônico: "que tal proibir a luz do Sol?" Dessa forma, poderíamos valorizar a indústria de velas e lamparinas. E ainda: "que tal proibir o uso da mão direita?" Isso fará com que se trabalhe mais, o que exigirá maior numero de trabalhadores, e assim aumenta-se o emprego.

Bastiat é considerado o pai da escola austríaca de economia. Reconhecida pela sua defesa do livre mercado e da liberdade humana.

Esse ano os finalistas do Nono Prêmio Bastiat de Jornalismo são:

7 Finalistas para o Jornal Impresso:
    * Andrew Ferguson, Weekly Standard
    * Peter Foster, National Post, Canada (2009 finalist)
    * Tim Harford, Financial Times (2006 co-winner)
    * Jeff Jacoby, Boston Globe
    * Bret Stephens, Wall Street Journal
    * Jamie Whyte, freelance (for articles written in The Times and Wall Street Journal; (2006 co-winner)
    * Martin Wolf, Financial Times

3 Finalistas para o Jornal On Line:
    * James Delingpole, blogger for telegraph.co.uk
    * Philip Maymin, columnist, fairfieldweekly.com and lewrockwell.com
    * Mark Perry, Carpe Diem blog / American Enterprise Institute / University of Michigan

Dos finalistas, vou procurar mais informações sobre todos. Já leio diariamente ou quando há coluna Bret Stephens, James Delingpole e Martin Wolf. Dos três, acho que os textos de Wolf que li mais recentemente estão se afastando um pouco da defesa do livre mercado, mas ele sempre escreve ótimas análises. Delingpole e Stephens são sensacionais. Quem acompanha meu blog, sabe que sempre os cito. Os dois fazem parte da minha lista de sugestão de sites desde o início deste blog. Vou ver o restante dos finalistas.

Alguns podem achar que eu já sabia quando escrevi este post, mas não. Vi agora que JAMES DELINGPOLE e BRET STEPHENS foram os vencedores. Parabéns, vejo que escolho bem os autores que leio.